98 Live - Logo
  1. News
  2. Política
  3. Em entrevista à 98, Romeu Zema adianta parceria entre BNDES e Codemig

Em entrevista à 98, Romeu Zema adianta parceria entre BNDES e Codemig

Governador de MG falou para o 98 News sobre o combate à Covid-19 e os desafios para o estado em meio à pandemia

Por Vinícius Silveira, Lucas Rage e Paulo Leite - Política25/05/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

Em entrevista para o 98 NEWS o governador Romeu Zema (Novo) antecipou a possibilidade de o BNDES tornar-se sócio do governo mineiro na Companhia de Desenvolvimento de Minas Geras (Codemig). Zema disse que essa é uma alternativa que está sendo estudada para suprir a paralisação de negócios no mercado de capitais e reforçar os cofres do estado.

O Governador abordou ainda outros desafios de sua gestão, em face à pandemia da Covid-19 que assola o país. Zema comentou os números do estado, inferiores se comparados a outras unidades federativas.

"Diria que até o momento, a pandemia em Minas Gerais está sendo combatida da forma que está ao nosso alcance. Não medimos esforços e dentro de um contexto Brasil, posso dizer que estamos indo muito bem. A nossa taxa de óbitos por 100.000 habitantes é cerca de 10 vezes menor que o que ocorre no país. Ou seja, o mineiro tem dez vezes menos chance de vir a óbito em relação a outras pessoas de outros estados em média” afirmou.

Ainda segundo o governador, Minas deve atingir o pico da pandemia no final do mês de julho ou início do agosto. “Até lá, teremos alguns meses de convívio com o Coronavírus”, lamentou.

Testes e subnotificações

O governador comentou ainda as denúncias de subnotificações da Covid-19 no estado, e reforçou a metodologia de testagem de casos aplicada em Minas Gerais. 

"A subnotificação tem sido mencionada como se estivéssemos tentando esconder algo. Temos sido totalmente transparentes”, explicou. Segundo ele, o Governo de Minas foi submetido a uma controladoria independente, que colocou o estado entre os três melhores do país no quesito.  “Submetemos os dados a uma empresa terceira, fora do Poder Público, e fomos classificados com nota máxima", completou.

Ainda conforme Zema, a alta nas ocorrências de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAS) em Minas pode ser explicada, justamente, pela pandemia. "Se compararmos os dados de síndrome respiratória de 2020 com 2019, veremos um número muito acentuado. Quero deixar claro que toda pessoa que tem sintomas de Covid é testada".

"Com a pandemia, muitas pessoas estão receosas e estão sendo testadas. O número não vai [ser contabilizado] na Covid, mas figura como síndrome respiratória", afirmou. 

"Todas as pessoas com suspeita [de Covid] estão sendo testadas. Não testamos mais por que não temos doentes", disse. "Minas realmente tem testado menos. Não temos recursos para testes em grande quantidade. Estamos priorizando os testes em UTIs. E estamos priorizando recursos em UTIs, que salvam vidas”, continuou.

Relação com governantes

Abordado sobre a relação com o presidente Jair Bolsonaro, com outros governadores e com prefeitos, Zema afirmou que seu objetivo é “resolver o problema dos mineiros”.

"Nao estou aqui para fazer polêmica, estou aqui para trazer resultados. Vejo muitas pessoas na mídia querendo causar polêmica. E isso não ajuda muito. Eu faço questão de ficar distantes. Sou governador de Minas para resolver o problema dos mineiros", disse.

Futuro da saúde em MG

Por fim, o governador se mostrou otimista quanto ao futuro da saúde em Minas Gerais, no pós pandemia. "A Saúde de MG vai sair com muito mais robustez do que antes da pandemia. Hoje temos um sistema de saúde melhor do que há 60 dias"

Sobre o Hospital de Campanha, construído em parceria com a Fiemg no Expominas, Zema afirmou que a estrutura está à disposição para uso, mas ainda não se fez necessária. "Gostaríamos muito que ele não fosse utilizado. Qualquer atendimento em um hospital comum será melhor que o de campanha. Ele é um estepe. Mas está aí caso seja necessário".

Confira a entrevista com o governador Romeu Zema na íntegra.