98 Live - Logo
  1. News
  2. Política
  3. Metrô de BH: 'Deputados de outros estados questionaram o governo', diz senador

Metrô de BH: 'Deputados de outros estados questionaram o governo', diz senador

Segundo o senador Carlos Viana, setores do Ministério da Economia que participam do orçamento e deputados de outros estados e outras bancadas questionaram o financiamento

Por Da redação - Política04/09/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

O repasse de 1 bilhão e 200 milhões de reais para bancar as obras da linha 2 do metrô de Belo Horizonte tem novo impasse. Depois que o presidente Jair Bolsonaro comemorou o repasse e considerou a obra como prioritária, setores do Ministério da Economia que participam do orçamento e deputados de outros estados começaram a questionar o governo quanto ao financiamento.

"O que nós temos é que quando o presidente fez a divulgação em rede social com o próprio ministro, sem a finalização do acordo na Justiça (...) setores do Ministério da Economia que participam do orçamento, deputados de outros estados e outras bancadas, que ao perceberem a possibilidade do financiamento ser confirmado, começaram a questionar o governo. E nós estamos em meio a uma discussão sobre o teto de gastos", disse o senador Carlos Viana.

Viana disse que é fundamental que os parlamentares mineiros não deixem a definição ser adiada para o próximo ano, já que o dinheiro iria, então, para o orçamento e a disputa seria mais acirrada.

"Sem uma definição clara de como esse dinheiro vai sair, ele ainda é do orçamento. Sete parcelas foram depositadas já no Tesouro Nacional. Se nós deixarmos virar o ano, aí não tem jeito, tem que ser mesmo na briga ano que vem pelo orçamento. Precisamos agora realinhar tudo que está sendo feito, inclusive com os setores que se mostraram contrários no governo", avaliou.

O senador mineiro cobrou que o presidente se manifeste mais uma vez para reforçar o interesse em que a verba seja destinada à linha 2 do metrô em BH.

"Nós temos que primeiro resolver essa questão técnica internamente no governo. O presidente precisa se manifestar, reafirmar esse acordo que ele tem conosco, pra que a gente possa dar sequência", disse.

Confira a entrevista completa: