98 Live - Logo
  1. News
  2. Política
  3. Zema critica demora de deputados de MG de votar acordo de indenização da Vale

Zema critica demora de deputados de MG de votar acordo de indenização da Vale

Fechado no início de fevereiro, o acordo foi enviado logo depois à Assembleia por meio de um projeto de lei e apenas nesta terça entrou na pauta da Comissão de Fiscalização Orçamentária e Financeira da casa

Por Estadão conteúdo - Política01/06/2021
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

Foto: Pedro Gotijo / Imprensa MG

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), criticou nesta terça-feira (01) a demora dos deputados para colocar em votação na Assembleia Legislativa local o projeto de lei que inclui no orçamento do Estado o acordo fechado com a Vale de indenização pela tragédia em Brumadinho. Em entrevista ao programa Pânico, da Rádio Jovem Pan, ele disse que o projeto está há 90 dias na Assembleia e parece que tem alguns deputados contrários.

"Fizemos o maior acordo da América Latina e, se não me engano o segundo maior do mundo, de R$ 37,5 bilhões, em dois anos. Ele está há 90 dias na Assembleia Legislativa de Minas para ser avaliado e alguns deputados parecem que não são favoráveis", afirmou o governador.

Fechado no início de fevereiro, o acordo foi enviado logo depois à Assembleia por meio de um projeto de lei e apenas nesta terça entrou na pauta da Comissão de Fiscalização Orçamentária e Financeira da casa.

O governador comentou que o acordo, selado com a ajuda do Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual, Defensoria Pública e chancelado pelo Tribunal de Justiça de Minas, servirá para concluir obras inacabadas no Estado.

"O que eles querem? Nós fizemos de tudo, a Justiça deu a chancela e agora a Assembleia não tem tempo para avaliar", disse

Nesta terça-feira, a Vale informou que o pagamento emergencial aos atingidos pelo rompimento da Barragem B1, em Brumadinho, será prorrogado por três meses, contando a partir deste dia 1º de junho.

A mineradora seguirá efetuando o pagamento nos mesmos moldes atuais até, no máximo, o final de agosto de 2021, de forma não renovável, quando ocorre o fim do período de transição.

Finalizado este prazo, a Vale depositará, em juízo, o valor referente ao acordado para o Programa de Transferência de Renda, deduzidos os valores dos pagamentos emergenciais e seus custos operacionais a partir de junho de 2021.

A partir de então, a utilização dos recursos e a operacionalização dos pagamentos pelo Programa de Transferência de Rendas ficarão a cargo das instituições de justiça.