98 Live - Logo
  1. News
  2. Saúde
  3. Anvisa diz que não foi informada sobre suicídio de voluntário da Coronavac

Anvisa diz que não foi informada sobre suicídio de voluntário da Coronavac

Anvisa alegou que Instituto Butantã enviou informações incompletas e que "tão logo as informações sejam canalizadas corretamente, elas serão analisadas"

Por Estadão Conteúdo - Saúde10/11/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) condicionou a continuidade dos testes da vacina Coronavac contra a covid-19 à confirmação sobre a segurança do produto. O órgão suspendeu na segunda-feira (9), o desenvolvimento do imunizante, produzido pelo Instituto Butantã em parceria com um laboratório chinês.

A Anvisa evitou estabelecer um prazo para reavaliar a decisão. De acordo com o gerente-geral de Medicamentos e Produtos Biológicos da agência, Gustavo Mendes, é preciso confirmar que não há causalidade entre a vacina e "o evento adverso grave não esperado" verificado em um voluntário dos testes.

A Anvisa alegou que, ao informar um evento grave nos testes, o Instituto Butantã enviou informações incompletas sobre a ocorrência e que, diante de um evento grave não esperado, o protocolo técnico correto é suspender os trabalhos até o detalhamento dos dados. "Tão logo as informações sejam canalizadas corretamente, elas serão analisadas", disse o presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres. O diretor reforçou compromisso da agência com o desenvolvimento das vacinas testadas atualmente.

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.