98 Live - Logo
  1. News
  2. Saúde
  3. Data de abertura do Hospital de Campanha sai na 5ª feira, diz Secretário de Saúde

Data de abertura do Hospital de Campanha sai na 5ª feira, diz Secretário de Saúde

Carlos Eduardo Amaral explicou ainda como funciona a nova metodologia de contagem de leitos ocupados no estado; confira a entrevista!

Por Lucas Rage - Saúde08/07/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

A data de abertura do Hospital de Campanha do Expominas, em Belo Horizonte, será divulgada amanhã pelo Governo de Minas Gerais.

A informação foi divulgada pelo Secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, em entrevista ao Central 98.

“A previsão nossa é que nós venhamos a abrir o Hospital de Campanha com poucos leitos e, a medida que for havendo a necessidade, a gente vai ampliando os leitos”, afirmou. Segundo ele, o objetivo é evitar o alto custo de manutenção do espaço com leitos desocupados.

73 mortes em MG

O secretário ainda comentou o recorde de óbitos pela Covid-19 em Minas, registrado nesta quarta-feira. 

“Quando confirmamos na Secretaria de Saúde 73 óbitos, significa que fizemos um consolidado de todos os municípios e avaliamos se eles eram por conta da Covid-19”, disse. “Na verdade, esses 73 óbitos não correspondem a pessoas que faleceram no dia de ontem, e sim que morreram nos últimos dias e que ontem foram consolidados”.

Segundo o secretário, nos últimos 14 dias a média de óbitos do estado está em 28 mortes por dia. “No início ela estava muito baixa. Há alguns dias ela atingiu 20 óbitos por dia, e agora atingiu 28 de média”.

Carlos Eduardo reforçou a alta nos números, nos boletins de terça e quarta-feira. Isso se deve ao acúmulo de notificações do fim de semana.

Alteração na metodologia de leitos

O secretário explicou ainda a alteração na metodologia que calcula a ocupação de leitos em Minas Gerais. O novo método reduziu o índice de ocupação de leitos, de 90% para 68% em uma semana.

“O que tínhamos no início era baseado na ocupação do SUSFácil. Essa ocupação era relacionada às AIHs, as autorizações que os hospitais emitem. O que vimos ao longo do monitoramento é que muitas dessas AIHs começavam a ser identificadas, mas não tinham a alta do paciente no sistema. Isso estava trazendo uma duplicidade, ou seja, as pessoas teoricamente internavam mas não tinham a alta no sistema. E nós identificávamos o leito como estando ocupado”, conta.

Com a nova metodologia, são identificados os leitos que estão efetivamente vagos — e não as autorizações de internação. “Quando há dúvida, nosso escritório de leitos entra em contato com o Hospital para ver o que de fato está acontecendo”, continua.

Segundo o secretário, a nova metodologia traz um retrato “mais confiável e preciso” da situação dos leitos no estado.

Confira a entrevista completa com o Secretário de Saúde: