98 Live - Logo
  1. News
  2. Saúde
  3. Governo Federal lança Plano Nacional de Vacinação contra Covid-19

Governo Federal lança Plano Nacional de Vacinação contra Covid-19

Anúncio foi feito pelo Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro e governadores

Por Lucas Rage e João Pedro Martins* - Saúde16/12/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

O Governo Federal lançou, na manhã desta quarta-feira (16), o Plano Nacional de Imunização contra a Covid-19. O lançamento aconteceu em cerimônia no Palácio do Planalto, e contou com a presença do Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, o presidente Jair Bolsonaro e governadores — entre eles Romeu Zema (MG).

O documento explicita o que foi apresentado na terça-feira (15) ao Supremo Tribunal Federal: a campanha de vacinação terá início 5 dias após o registro do imunizante pela Anvisa, e vai durar 16 meses.

Os primeiros 4 meses serão focados no grupo prioritário, com 51 milhões de pessoas vacinadas108,3 milhões de doses serão consumidas nessa etapa. Os outros 12 meses serão voltados para o público em geral. 

O governo informou ainda a garantia de compra de quase 300 milhões de doses da vacina de Oxford, que vem sendo desenvolvida em conjunto com o laboratório AstraZeneca. 100 milhões de doses serão asseguradas no primeiro semestre, com outros 160 milhões entregues no segundo. O Ministério da Saúde ainda se comprometeu em adquirir outros imunizantes aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Vacina gratuita e voluntáriapara todos

Em pronunciamento durante a cerimônia, o Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, garantiu que o imunizante alcançará todos os municípios brasileiros, sem custo

“Não haverá nenhuma diferença de entre os estados”, disse. “Faremos a vacinação igual para todos. Todos os estados e todos os brasileiros receberão a vacina grátis, completou.

O responsável pela pasta da saúde rebateu as críticas que o governo vem recebendo. "Não vejo nada errado do que está sendo feito. Se tivesse, eu já teria corrigido.”

Além disso, Pazuello fez questão de defender o processo de regulação do imunizante, de acordo com ele "não podemos pôr em dúvida a capacidade da nossa agência reguladora”

Parte da oposição ao governo tem levantado teses sobre o aparelhamento da Anvisa ao interesse político do executivo nacional. A respeito da isenção da Agência quanto ao assunto, o responsável pela saúde nacional afirmou que “a Anvisa é independente e é uma agência de estado”.

Bolsonaro adota tom conciliador

Em seu discurso, Bolsonaro adotou um tom conciliador, admitindo os desafios da pandemia e celebrando o trabalho feito até o momento por todos os estados.

“Senhores governadores, é uma honra recebê-los aqui. Outros não compareceram com certeza por motivo de força maior. Mas a grande força que todos nós demonstramos agora é a união para buscar uma solução de algo que nos atinge há meses. Se algum de nós extrapolou ou exagerou, foi no afã de buscar uma solução”.

“Estamos na iminência de apresentar uma alternativa concreta contra esse mal”, completou Bolsonaro. “Depois da tempestade, a bonança. É isso que se vislumbra no Brasil. São 27 governadores com um só propósito: o bem comum”, afirmou o presidente.

Além disso, o presidente da república também defendeu a Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

“Estamos tratando de vidas, temos uma agência de vigilância sanitária, que sempre foi referência para todos nós e que continua tendo uma participação fundamental em qual vacinação deve ser usada na imunização de todos os brasileiros.

Bolsonaro concluiu dizendo que vislumbra volta da normalidade em breve

“A todos os brasileiros neste momento de entendimento e paz. Se Deus quiser em breve estaremos na normalidade”, finalizou.