Carregando...

Saúde

Minas confirma fim do toque de recolher e passa a permitir reuniões familiares

Medida que já havia sido anunciada na segunda-feira foi confirmada nesta tarde em reunião do Comitê Extraordinário Covid-19

Por Fernando Motta

O Governo de Minas confirmou nesta quarta-feira (7), em reunião do Comitê Extraordinário Covid-19, a suspensão do toque de recolher em todo o Estado. A decisão foi tomada em conjunto com a Assembleia Legislativa, Tribunal de Justiça de Minas Gerais, Ministério Público e Associação Mineira dos Municípios e da Defensoria Pública.

A norma estava em vigor desde o dia 17 de março e restringia a circulação de pessoas das 20h às 5h. Com a nova regra, ficam permitidas também as reuniões familiares durante a onda roxa do plano Minas Consciente.

A suspensão atende a um acordo judicial feito pelo Governo de Minas na última segunda-feira (5), após o deputado estadual Bruno Engler questionar a constitucionalidade das medidas. Apesar do fim da proibição, o governador Romeu Zema reitera que o Estado desaconselha qualquer tipo de aglomeração ou trânsito desnecessário durante a pandemia.

“Essas medidas não serão mais obrigatórias, mas é essencial que todos façam a sua parte para conseguirmos reduzir a propagação do vírus Precisamos que a população mantenha todos os cuidados, use máscara e evite aglomerações para conseguirmos sair disso o mais rápido possível”, destacou.

Avanço de regiões para a onda vermelha

Ficou decidido ainda na reunião do comitê que a macrorregião Triângulo do Sul e as microrregiões de São Gotardo, Montes Claros/Bocaiúva e Taiobeiras podem avançar para a onda vermelha do plano Minas Consciente.

A decisão será publicada no Diário Oficial nesta quinta-feira (8). No entanto, as localidades serão monitoradas pela Secretaria de Estado de Saúde até a próxima sexta-feira (9) para garantir que não haja piora nos indicadores da covid-19.

Somente será permitido o avanço a partir de segunda (12), caso o cenário positivo se mantenha favorável. As demais regiões do estado devem seguir, por mais uma semana, as medidas decretadas na semana passada.

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais