98 Live - Logo
  1. News
  2. Saúde
  3. PBH suspende alvará se funcionamento de instituições de ensino

PBH suspende alvará se funcionamento de instituições de ensino

Depois de liberação do governo Zema, executivo municipal argumenta que alunos podem ser vetores de transmissão do novo coronavírus

Por João Pedro Martins e João Henrique do Vale - Saúde24/09/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

Um dia depois do Governo de Minas Gerais dar o aval para a retomada das aulas presenciais no território mineiro, a Prefeitura de Belo Horizonte suspendeu o alvará de funcionamento de todas as escolas do município. A medida foi publicada na edição desta quinta-feira do Diário Oficial do Município (DOM)

No decreto, a prefeitura justifica que "o ambiente escolar composto, em sua maioria, por crianças e jovens, que pela característica imunológica, ao contraírem a covid-19, tendem a não manifestar sintomas ou manifestar sintomas leves, mas que continuam como vetores de transmissão, podendo acelerar a circulação da pandemia"

Cita ainda que o retorno das aulas afetará o isolamento social, pode colocar em risco pessoas idosas que têm contato com os netos, e que o assunto deve ser discutido de forma aprofundada para a retomada em segurança. 

A prefeitura afirma, também, que podem retomar as atividades, desde que previamente autorizadas pela Secretaria Municipal de Saúde, as escolas de nível superior, para os cursos da área da saúde, somente para aulas laboratoriais e práticas, e as escolas de educação profissional de nível técnico. 

Retomada das aulas

A autorização para o retorno das aulas presenciais no território mineiro foi dada pelo Governo de Minas nessa quarta-feira. Em 5 de outubro, as escolas já poderão retornar, desde que o município esteja na onda Verde do Minas Consciente. Neste mesmo dia, as escolas públicas estaduais poderão ser abertas para que os diretores dêem início ao planejamento de volta às aulas. A retomada nessas instituições terá início pelos alunos do 3º ano do ensino médio, no dia 19 de outubro - desde que município esteja na onda Verde - seguindo gradualmente para os anos inferiores.

Os municípios têm autonomia para autorizar ou não o retorno das atividades