98 Live - Logo
  1. News
  2. Saúde
  3. Pesquisa detecta presença de Coronavírus no esgoto na região metropolitana de BH

Pesquisa detecta presença de Coronavírus no esgoto na região metropolitana de BH

Estudo será usado como ferramenta para conhecer regiões com mais contaminações

Por Da Redação - Saúde05/05/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

Uma pesquisa inédita identificou a presença do novo Coronavírus no esgoto despejado no Ribeirão Arrudas e no Ribeirão do Onça, nos municípios de Belo Horizonte e de Contagem, em Minas Gerais. Conforme coletas realizadas entre 13 a 24 de abril, o vírus causador da covid-19 foi encontrado em oito de 26 amostras examinadas, equivalente a 31%.

Antônio Claret Jr, Presidente da Agência Reguladora de Água e Esgoto (Arsae MG) frisou que isto não significa que existe contágio necessariamente do vírus pela água “Isso não significa que transmite pelo esgoto, o que o estudo, me parece, teve como resultado foi que encontrou material genético do Covid no esgoto. Ele não vai dizer ‘olha é perigoso, é transmissível’ não é exatamente isso que está sendo falado.”

Das oito amostras positivas para o novo Coronavírus, três foram coletadas na sub-bacia do Ribeirão Arrudas e cinco na sub-bacia do Ribeirão do Onça. Não há evidências científicas de que a doença possa ser transmitida por água atingida pelo esgoto. O monitoramento fornece, no entanto, informação estratégica para os gestores da saúde pública sobre as áreas e regiões com risco de maior incidência de transmissão “É apenas, por hora, uma importante ferramenta para que o poder público possa entender regiões com mais contaminação (sobre a pesquisa). Regiões que têm pessoas que estão de fato contaminadas pela Covid” explica Claret.

A pesquisa terá duração de dez meses e envolve o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Estações Sustentáveis de Tratamento de Esgoto (UFMG), a Agência Nacional de Águas (ANA), o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) e a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG).

Segundo presidente da Arsae MG, a melhora do saneamento báscio pode trazer benefícios não só contra o Coronavírus mas para várias doenças “O esgoto traz uma série de doenças, no Brasil morrem por ano 15 mil brasileiros por doenças associadas a falta de saneamento básico.” “Estamos pela primeira vez com um congresso e gestores públicos de maneira geral interessados em saneamento, por que eles estão vendo os resultados, as consequências”.

Ele também explica que o fato de material genético ter sido achado não significa que a água já tratada está contaminada “A orientação quando você chega em casa é lavar as mãos com água e sabão, se o vírus morre com água e sabão o que dirá um tratamento (de água)”.