98 Live - Logo
  1. News
  2. Saúde
  3. Secretário de Saúde de BH não descarta lockdown na capital

Secretário de Saúde de BH não descarta lockdown na capital

Em entrevista ao Central 98, doutor Jackson Machado confirmou que BH não avança para a próxima fase de retomada

Por Lucas Rage e João Henrique do Vale - Saúde24/06/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

Belo Horizonte não vai avançar para a terceira fase de flexibilização do isolamento social. A informação foi confirmada nesta quarta-feira (24) pelo Secretário Municipal de Saúde, Doutor Jackson Machado, em entrevista ao programa Central 98.

“É muito pouco provável que os indicadores experimentem uma queda muito grande nos próximos três dias. Quem vai conseguir nos dizer o que vai acontecer [na sexta-feira] são os indicadores. Se eles se mantiverem como hoje, é possível que não consigamos abrir nada na próxima semana”, afirmou Machado.

A fala do secretário reitera declaração dada na terça-feira (23), pelo prefeito Alexandre Kalil. Em entrevista ao jornalista José Luiz Datena, da Rede Bandeirantes, Kalil afirmou que BH não avança para a próxima fase de reabertura do comércio. O prefeito também não descartou o lockdown. Segundo Machado, a fala de Kalil “é absolutamente verdadeira”

De acordo com o secretário, três indicadores principais balizam os próximos passos do comitê de enfrentamento à Covid-19: a taxa de transmissão do vírus (R0), a ocupação de leitos UTI Covid-19 e a taxa de ocupação dos leitos de enfermaria Covid-19.

No último boletim da PBH, Belo Horizonte registrava ocupação de 83% dos leitos UTI Covid. Quanto aos leitos de enfermaria Covid, a ocupação é de 68%

Conforme dados divulgados na última sexta-feira (19), a taxa de transmissão da Covid-19 (R0) está em 1,13.

Abertura de leitos

Nas últimas semanas, Belo Horizonte teve um aumento significativo na procura por atendimento. Para evitar o colapso do sistema de saúde, a administração municipal vem ampliando a oferta de leitos. “A taxa de ocupação de leitos UTI Covid-19 está em 83%, menor que o dado de ontem (terça-feira). A taxa de ocupação das enfermarias Covid-19 está em 68%. Nós temos a possibilidade de abrir até mais 60 leitos até o fim de semana”, afirmou o secretário Jackson Machado.

A Prefeitura afirma que consegue abrir 1.597 leitos adicionais na capital mineira. Segundo o secretário, a expansão será feita de forma planejada para evitar deixar leitos ociosos. "Nós temos um certo planejamento de UTI, que é seguido à medida que os leitos são necessários. A gente não abre leitos para ficarem ociosos. Abrir um leito significa disponibilizar recursos humanos e equipamentos. Temos esses recursos e equipamentos, mas não vamos deixá-los ociosos”, completou.

Falta de medicamentos

O Brasil sofre com a falta de anestesia e relaxantes musculares. Em Minas Gerais, a situação também preocupa. Segundo o secretário Jackson Machado, a prefeitura recebeu uma doação de 5 mil ampolas da Fundação Educacional Lucas Machado (Feluma) , o que vai ajudar a manter o estoque na capital mineira.  

“Essa é uma situação que nos preocupa sobremaneira. Nosso estoque de anestésicos é o suficiente para nos manter por 2 meses. Um hospital de grande porte como a Santa Casa de Belo Horizonte utiliza aproximadamente 50 frascos de bloqueadores neuromusculares por semana", disse.

“Temos uma parceria com a Feluma, que acaba de doar 5 mil ampolas. Isso é o suficiente para manter os serviços funcionando por um tempo muito longo. São aproximadamente 100 semanas. A partir do próximo dia 30, quando esse quantitativo chegar, teremos um reforço importante no que ja é suficiente para 2 meses em Belo Horizonte”, completou.

Distanciamento social

O Secretário voltou a reforçar a importância de que a população adote as medidas de distanciamento social. "Se temos um distanciamento social, não precisa ser feito o bloqueio 100% [de atividades]. Com o distanciamento social acima de 50%, e com uma imunidade de rebanho próxima de 20%, a pandemia estará sob controle. Até que isso aconteça, é muito importante que as pessoas se conscientizem da importância do distanciamento social e do uso da máscara", frisou.

Confira a entrevista completa com o Secretário Municipal de Saúde: