Carregando...

Saúde

"Vacina contra Covid vai levar um ano para ficar pronta", diz cientista da Fiocruz

Central 98 entrevistou o Doutor Akira Homma, assessor sênior do Instituto Bio-Manguinhos; veja a entrevista completa!

Por Lucas Rage

A vacina contra a Covid-19 vai levar um ano para ficar pronta. A declaração partiu do assessor científico sênior do Instituto Bio-Manguinhos/Fiocruz, Doutor Akira Homma.

Em conversa ao Central 98, Homma explicou o processo de fabricação do imunizante de combate ao Novo Coronavírus. Segundo ele, a produção está acelerada, fazendo com que esta se torne a vacina mais rápida da história. "A vacina mais rápida do mundo em produção foi a da Caxumba, e ela levou quatro anos", explicou.

De acordo com o cientista, a agilidade no desenvolvimento da vacina se deve a um processo chamado fast track, em que as fases de teste são sobrepostas. "Os governos dos países desenvolvidos estão investindo uma nota preta, para que a vacina chegue o mais rápido possível", completou.

Resultados do Brasil podem sair em novembro

Doutor Akira detalhou o desenvolvimento de imunizantes no Brasil. Segundo ele, os primeiros resultados preliminares podem chegar ainda em novembro. "No Brasil, temos três vacinas diferentes em estudo de Fase 3, de eficácia. Mesmo nesse estudo de fast track, é estimado que depois de um ano você tenha resultados de eficácia. O estudo com dados preliminares deve ser aberto em três meses desde o último vacinado, o que seria em novembro", afirma.

O Instituto Bio-manguinhos/Fiocruz trabalha atualmente na Fase 3 do desenvolvimento da Vacina de Oxford, principal aposta do Ministério da Saúde para o imunizante. Além desta, também estão na Fase 3 a vacina Coronavac, do laboratório Sinovac em parceria com o Butantã, e a vacina da Johnson & Johnson, que tem estudos em parceria com a UFMG.

Confira a íntegra da entrevista com o Dr. Akira Homma



Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais