98 Live - Logo
  1. News
  2. Saúde
  3. Zema responde PBH e diz que ainda nao é hora para abrir hospital do Expominas

Zema responde PBH e diz que ainda nao é hora para abrir hospital do Expominas

Governador avaliou que atendimento a pacientes é melhor em hospitais tradicionais do que seriam no hospital de campanha; ele ainda respondeu as alegações do secretário de Saúde Jackson Machado, que pediu a abertura da unidade no Expominas

Por Fernando Motta - Saúde16/06/2020
  • whatsapp
  • facebook
  • twitter

O Governo de Minas avalia que ainda não é o momento de abrir o hospital de campanha do Expominas. Em entrevista coletiva na tarde desta terça-feira, Romeu Zema disse que o foco do governo tem sido o de ampliar o número de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e avaliou que os pacientes são melhor atendidos em unidades de saúde tradicionais do que seriam no hospital de campanha.

"O paciente que entra num hospital ele é muito mais bem atendido e tem acesso a muito mais recursos do que ele teria em um hospital de campanha. Vale lembrar que num hospital você tem toda uma estrutura de exames complementares, de acesso a recursos que um hospital de campanha não tem. Mas o hospital de campanha está apto a começar a funcionar tão logo seja necessário", disse.

Zema ainda respondeu as alegações do secretário de Saúde Jackson Machado, que na última sexta-feira (12) disse que "se o hospital de campanha do Estado não for aberto, as pessoas vão pressionar os hospitais de Belo Horizonte para ocupar esses leitos, o que não é correto de acordo com a hierarquia do SUS".

Segundo o governador, os hospitais da Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig) estão concentrados em Belo Horizonte e foram construídos para essa finalidade. "A alegação de que a capital está ficando sobrecarregada não procede. Isso é histórico, sempre aconteceu. O SUS é muito anterior ao meu governo e ao governo de qualquer outro mandatário. Não existe, definitivamente, esta questão de que o interior está enviando pessoas para a capital", disse.

Abertura de leitos de UTI no interior

Zema anunciou ainda a abertura de 79 leitos de UTI no interior de Minas. As cidades contempladas serão: Lavras, Itaúna, Ipatinga, Patrocínio, São Sebastião do Paraíso, Divinópolis, Ouro Preto, João Monlevade, Montes Claros, Coronel Fabriciano, Governador Valadares, Unaí, Uberlândia, Barbacena, Teófilo Otoni, Salinas, Taiobeiras, Lagoa da Prata e Conselheiro Lafaiete. Com isso, o Estado passa a contar com 2964 leitos de UTI.

De acordo com Zema, hoje, 13,2% dos leitos estão ocupados por pacientes da Covid-19. "Não é mais um número tão confortável quanto aquele que tínhamos há 45, 60 dias atrás, que estava por volta de 5 a 6%", lembrou o governador.

Compra de respiradores

O Governo de Minas recebeu 500 respiradores para auxiliar no combate à Covid-19. Segundo Zema, 420 equipamentos foram comprados através de acordos judiciais junto às mineradoras Vale e Samarco. Os outros 80 foram entregues pelo Governo Federal.

De acordo com o governador, a compra dos 420 respiradores foi possível após uma ação do Estado junto ao Ministério Público em que as mineradoras tiveram de arcar com a compra dos equipamentos, como parte das medidas compensatórias pelas tragédias de Brumadinho e Mariana.

Zema revelou que 20 respiradores serão destinados à Governador Valadares e Diamantina. O destino dos demais equipamentos ainda está sob análise.

O governador disse que dos 420 respiradores adquiridos, 300 são não-invasivos e os demais são equipamentos invasivos, os mais complexos. Segundo ele, essa entrega é a primeira leva do total de 1047 respiradores adquiridos pelo Estado.