Cidades

  1. Notícias
  2. Cidades
  3. Animal mais velho do Zoológico de BH completa 52 anos e supera expectativa de vida
Imagem: Suziane Brugnara/PBH/Divulgação

Animal mais velho do Zoológico de BH completa 52 anos e supera expectativa de vida

Rinoceronte Luna é uma espécie africana ameaçada de extinção que nasceu na Alemanha, em 1970, e veio para BH dois anos depois


Por Déborah Lima

Conservação e cuidado são características que fazem o Zoológico de Belo Horizonte comemorar mais um ano de vida da fêmea de rinoceronte, conhecida como Luna.

Nessa quarta-feira (4), ela completou 52 anos e, atualmente, é o animal mais velho da instituição, tendo superado a expectativa de vida para a espécie sob cuidados humanos (40-50 anos).

Luna é cuidada no zoológico da capital há 50 anos. Ela nasceu em um zoológico da Alemanha, em 1970, e veio para a capital mineira em 1972.

Espécie rara

Rinoceronte-branco, Luna faz parte de uma espécie africana ameaçada de extinção e que, apesar do nome, possui a pele acinzentada.

O Zoológico explica que, ao contrário do que muitas pessoas pensam, o seu nome popular está relacionado a um mal-entendido histórico.

É chamado de “branco” por causa de sua mandíbula “larga”, que os povos africanos, descendentes dos colonizadores holandeses, chamavam por “wijd” (largo), em inglês “wide”, mas os ingleses entenderam “white” (branco).

Cuidados especiais

Apesar de receber cuidados especiais, a idade deixa sinais. Hoje ela apresenta um quadro de conjuntivite crônica, devido a fatores alérgicos, e é acompanhada diariamente pela equipe da veterinária. 

Como parte do Programa de Bem-estar Animal do Zoológico de BH, Luna foi treinada, por meio da técnica “Condicionamento Operante com Reforço Positivo”, para que cooperasse com as atividades de manejo e com os procedimentos médicos-veterinários de que necessita.

Rinocerontes na natureza

Na natureza, são muitas as ameaças aos rinocerontes. Dentre as principais, está a caça predatória para abastecer o comércio internacional ilegal de cornos de rinoceronte.

Acredita-se que estes tenham poderes afrodisíacos e medicinais, mas sem comprovação científica. O corno de rinoceronte tem dois usos principais: na medicina tradicional chinesa (como redutor de febre) e ornamental.

Além disso, recentemente, tornou-se um produto altamente valorizado para se fazer artefatos, como tigelas e pulseiras. No passado, em alguns países do Oriente Médio, já era usado na confecção de cabos para armas cerimoniais. 

Zoo de BH em números

  • 235 espécies de animais silvestres;
  • 3.800 indivíduos entre peixes, répteis, aves e mamíferos;
  • 78% de animais da fauna nacional e 22% da fauna exótica;
  • 60% da fauna nacional proveniente de apreensões do IBAMA, IEF, programas de resgate de fauna e crimes ambientais. Os animais também chegam por meio dos Planos de Conservação, permutas entre outros zoos e dos nascimentos no Zoo;
  • 18% são espécies ameaçadas de extinção.
Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais