Carregando...

Cidades

Imagem: Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Belo Horizonte (STTRBH) / Divulgação

Audiência de conciliação termina sem acordo e greve de ônibus continua em BH

Uma nova reunião foi marcada para a próxima quarta-feira

Por João Henrique do Vale

A paralisação dos rodoviários de Belo Horizonte vai continuar. A audiência de conciliação realizada no Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais (TRT/MG) terminou sem acordo, na tarde desta segunda-feira (22). Um novo encontro foi marcado para esta terça-feira (23)

Durante a reunião, os representantes do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (Setra-BH) solicitaram a suspensão da paralisação até o novo encontro. O Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Belo Horizonte (STTRBH) afirmou que a greve será mantida. Porém, se comprometeram a tentar manter a escala definida pela Justiça, de 60%, ou mais. 

O desembargador Fernando Rios Neto, vice-presidente do TRT-MG, que presidiu a sessão, pediu, para a próxima reunião, a convocação da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH). Os sindicatos das empresas e dos trabalhadores solicitaram um representante da administração municipal, já que ninguém do executivo municipal esteve presente no encontro desta segunda-feira. 

Os trabalhadores afirmam que estão há dois anos sem reajuste salarial. Os rodoviários cobram um aumento de 9% + INPC, ticket de alimentação de R$ 800,00, pagamento do ticket no atestado, remoção do banco de horas, abono salarial 2019/2020, a retirada da limitação do passe livre, manutenção do passe livre para o afastado, e melhoria no plano de saúde

Petição da PBH 

A Prefeitura de Belo Horizonte entrou com uma petição na Justiça acusando os trabalhadores de descumprimento da liminar concedida às empresas que determinava que 60% dos ônibus deveriam ser mantidos. 

A administração também solicitou a majoração da multa, a investigação, por parte da Polícia Federal, do crime de desobediência, e que seja garantido 90% da frota do transporte público coletivo em horários de pico. 

O desembargador abriu vistas para as partes se manifestarem até às 14h30 desta terça-feira, quando as partes voltam a se encontrar em uma nova audiência de conciliação sobre o caso.

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais