Carregando...

Cidades

Imagem: Léo Fontes/98 Live

Auditoria feita no contrato com empresas de ônibus de BH será investigada

Prefeitura abriu, nesta quinta-feira, depois de três anos, processo administrativo para apurar irregularidades

Por João Henrique do Vale

A auditoria feita em 2018 pela Maciel Consultoria nos contratos das empresas de ônibus de Belo Horizonte será investigada. A empresa foi contatada pela prefeitura para definir o valor da tarifa do transporte público da capital mineira. Ao fim dos trabalhos, chegou a conclusão que o valor deveria ser R$ 6,35. Nessa quarta-feira, a CPI da Caixa-Preta, que acontece na Câmara Municipal de Belo Horizonte, apontou indícios de irregularidades. 

Em depoimento à CPI, o diretor da BHTrans, Daniel Marx Couto, um dos responsáveis por fiscalizar a auditoria, admitiu que a empresa fez os trabalhos por amostragem. Os vereadores relataram que a auditoria só analisou dois meses de contratos por ano, o que representa 16,7% do total de documentos que deveria ter analisado. Daniel Marx afirmou que se a empresa não analisou todos os documentos, o problema é dela. 

Um dos pontos questionados pelos vereadores foi em relação aos documentos apresentados pelas concessionárias. Os parlamentares alegam que as empresas escolheram quais documentos encaminhar. O diretor da BHTrans afirmou que a consultoria fez apenas uma auditoria amostral, sem conferir todas as notas fiscais de custos.

Investigação 

A prefeitura de Belo Horizonte publicou, na edição desta quinta-feira do Diário Oficial do Município (DOM), a abertura de um processo administrativo punitivo para apurar a auditoria. No documento, afirma que o ato é para investigar “eventuais ilícitos cometido pela empresa Maciel Consultoria”. O prazo para apuração é de 180 dias. 

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais