Cidades

  1. Notícias
  2. Cidades
  3. BH: Trabalhadores da educação municipal entram em greve a partir desta quarta-feira (16)
Imagem: PBH/Divulgação

BH: Trabalhadores da educação municipal entram em greve a partir desta quarta-feira (16)

Categoria deve se reunir em assembleia as 14h, na Praça da Estação, no Centro da capital


Por Carol Torres

Trabalhadores da rede municipal de ensino de Belo Horizonte entram, nesta quarta-feira (16), em greve por tempo indeterminado. A decisão foi tomada em assembleia em 8 de março, com a presença de mais de 1.500 trabalhadores, de acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Pública Municipal de Belo Horizonte (Sind-Rede). 

Os trabalhadores pedem o pagamento do piso salarial nacional da categoria e a preservação da carreira. 

A Prefeitura de Belo Horizonte propôs um reajuste de 11,77% mas a diretoria colegiada do Sind-Rede argumenta que a proposta de reajuste da Secretaria Municipal de Educação culminará no descumprimento da Lei Nacional do Piso Nacional do Magistério para os primeiros sete níveis da carreira da educação. De acordo com o executivo municipal, o reajuste de 11,77% foi proposto a todo o funcionalismo. 

Hoje, uma assembleia da categoria está marcada para as 14h, na Praça da Estação, no Centro de BH. Na ocasião, os trabalhadores vão discutir os rumos da paralisação.

Retorno da prefeitura

A prefeitura respondeu, em nota, que "respeita o direito à livre manifestação, e espera que o aumento proposto de 11,77% (reajuste proposto a todo funcionalismo) e outras demandas específicas para avanços da Educação sejam aprovadas na Assembleia de hoje".

A pasta ressaltou que todas as demais categorias já assinaram o termo de aceite e os projetos de lei com as propostas de reajuste e benefícios estão sendo encaminhados para a Câmara.

"O Município reafirma que, mesmo diante de tantos desafios nos últimos anos, não mediu esforços para ofertar a recomposição inflacionária a todo o funcionalismo e para atender a demandas específicas e históricas. Destaca, ainda, que nunca atrasou ou parcelou o salário, nem mesmo na pandemia."

Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais