Carregando...

Cidades

Imagem: Luiza Lisboa

Com formato inédito, Virada Cultural de BH terá 24 horas ininterruptas de programação

Evento está previsto para 16 e 17 de outubro e celebra a retomada do setor na cidade

Por Carol Torres

A Virada Cultura de Belo Horizonte 2021 já tem data para acontecer: dias 16 e 17 de outubro. Com o tema “Cultura vibra, viva, vira”, o evento representa o momento de retomada gradual que o setor começa a viver atualmente. A programação será totalmente gratuita e com a maior parte das atividades apresentadas on-line. 103 propostas foram pré-selecionadas via cadastramento e somam quase 700 pessoas envolvidas entre artistas e produção. 

A programação será distribuída em dez espaços simultâneos de transmissão ao vivo, em 24 horas ininterruptas, com espetáculos de teatro, dança, música, além de instalações urbanas, gastronomia, moda, design, cinema, literatura e muitos mais.  

Toda a programação será realizada seguindo os protocolos de prevenção ao contágio pela Covid-19 vigentes em Belo Horizonte. 

Para a secretária municipal de Cultura e presidenta interina da Fundação Municipal de Cultura, Fabiola Moulin, a Virada representa o momento de mostrar toda a riqueza artística e cultural dos artistas e coletivos da cidade. 

Queremos que os belo-horizontinos vibrem e virem conosco nesta edição virtual. E a Virada não se encerra no evento em si, estamos deixando um legado para os artistas, eles irão receber o material da sua apresentação como possibilidade de uso em seus portfólios”, afirmou.   

A Virada Cultura é promovida pela Secretaria Municipal de Cultura, Fundação Municipal de Cultura e o Instituto Periférico. As informações sobre a edição poderão ser acompanhadas no site oficial do evento.

Onde acompanhar 

A programação poderá ser acompanhada no YouTube da Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte (youtube.com/canalFMC). O festival poderá ser acompanhado apenas no período de realização do evento, e o conteúdo não ficará disponível após o término. 

Novos espaços 

A Virada Cultural contará, ainda, com uma ressignificação de espaços do centro da capital que, tradicionalmente, não recebem programação cultural, como os terraços dos edifícios Itamaraty e Brasil Palace Hotel, além da Estação Central/CBTU. No Viaduto Santa Tereza, um piano de cauda e a cantora Ângela Ro Ro participam do festival parceiro Divina Maravilhosa. 

Outras regiões da capital também serão palco de gravações das atrações nesta edição. Tiago Delegado, por exemplo, convida grandes nomes do samba de BH para a Virada do Samba, tendo como cenário uma das mais belas vistas da cidade: o Mirante do Mangabeiras. 

Algumas intervenções urbanas poderão ser acompanhadas com presença de público, em 16 e 17 de outubro, seguindo os protocolos de prevenção à Covid-19 vigentes na cidade, em formatos pensados para não gerar aglomerações. Um dos exemplos é a proposta da artista Luiza Kot, que projeta em construções na av. dos Andradas e rua Aarão Reis, a partir do Prédio da Estação Central, imagens que mesclam a natureza e o urbano.

A programação completa do evento, com todos os nomes confirmados na edição e os horários, será divulgada em breve

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais