Carregando...

Cidades

Imagem: Leo Fontes / Rede 98

Com greve de ônibus, preços de aplicativos de carona disparam em BH

Viagens chegaram a ultrapassar R$ 140, na manhã desta segunda-feira

Por Lucas Rage

Quem precisou usar aplicativos de caronas pagas para sair de casa nesta segunda-feira teve que colocar a mão no bolso. 

A paralisação de linhas de ônibus de Belo Horizonte causou uma disparada nas tarifas de serviços como a Uber e a 99, no início da manhã. O resultado: alta de mais de 100% nos valores cobrados

Uma viagem da Avenida Barão Homem de Melo até a Savassi, que custa normalmente R$ 15, chegou a ser cotada em R$ 36.

Viagens do Barreiro até o Centro chegaram a ficar ainda mais caras, com valores acima de R$ 140

Táxis mais em conta

Neste mesmo cenário, os táxis se tornaram a opção mais em conta para quem precisou chegar no trabalho, nesta segunda-feira. Isso por que a modalidade não conta com a chamada “tarifa dinâmica”, que altera os preços conforme a demanda.

Além disso, os táxis têm a possibilidade de circular livremente por faixas exclusivas do Move.

"É um absurdo o que os aplicativos de carros particulares estão fazendo, principalmente nesse momento de greve do ônibus onde a população precisa se deslocar ou por táxi ou por eles" afirmou João Paulo de Castro Dias, diretor-presidente do Sindicato dos Taxistas (Sincavir)"Com a greve dos ônibus os aplicativos de carros particulares estão cobrando tarifas dinâmica absurdas,até 4x mais do que o valor normal, já os taxis além de não cobrarem tarifas dinâmicas ainda estão ofertando descontos de até 20 %", completou.

Paralisação dos ônibus

Os rodoviários fazem uma paralisação nesta segunda-feira para cobrar, entre outras demandas, reajuste salarial. Uma audiência de conciliação está marcada para a tarde no Tribunal Regional do Trabalho (TRT-MG). As regionais mais impactadas foram a Barreiro e Vilarinho, que registravam 0% de saída das viagens programadas para o dia.



Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais