Cidades

  1. Notícias
  2. Cidades
  3. Conselho Municipal de Saúde de BH recomenda cancelar eventos e passaporte vacinal contra ômicron
Imagem: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

Conselho Municipal de Saúde de BH recomenda cancelar eventos e passaporte vacinal contra ômicron

Entidade listou 12 medidas que devem ser tomadas na cidae para controlar a disseminação do vírus


Por Victor Duarte

O Conselho Municipal de Saúde de Belo Horizonte (CMSBH) recomendou, nesta segunda-feira (17), novas medidas restritivas para conter a circulação do vírus na cidade. Entre as medidas propostas, estão o cancelamento de grandes eventos, incluindo jogos de futebol, e a instauração do 'passaporte vacinal' na cidade. 

No documento, a CMSBH, considera que "a 3ª onda da Covid-19 provocada pela variante ômicron já se instalou em Belo Horizonte e, não se trata, portanto, apenas de um "surto de gripe"". O Conselho considera ainda que a rede hospitalar já está pressionada por casos graves, principalmente pacientes não vacinados, incluindo crianças. 

Entre as 12 medidas recomendadas pelo CMSBH estão: cancelamento de grandes eventos e jogos de futebol, para evitar aglomeração, restringir o acesso a locais públicos, como bares, restaurantes e teatros, somente aos vacinados, aumentar oferta de ônibus para reduzir aglomeração dentro dos coletivos, abertura dos Centros de Testagem Pública da Covid-19, para a população realizar testes sem sobrecarregar o sistema de saúde e a abertura de mais três centros de saúde com horário ampliado por regional da cidade. 

Lembrando que o Conselho apenas sugere as medidas, que, para entrar em vigor, devem ser efetivadas pela Prefeitura de Belo Horizonte. A Rede 98 entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde solicitando um posicionamento sobre as sugestões e ainda aguarda o retorno. 

Veja as 12 medidas propostas pelo CMSBH

1- O cancelamento dos megas eventos espalhadores do vírus da Covid-19, considerando a alta infectividade da ômicron, com a restrição de grandes festas e shows, incluindo os jogos de futebol, para evitar aglomerações pelo menos até o final de fevereiro; 

2 – Permitir o acesso somente de pessoas vacinadas a locais públicos, como bares, restaurantes e teatros (instituição do passaporte vacinal em BH);

3- Fortalecer das regras sanitárias para prevenção da COVID em ônibus, bares, restaurantes, casas de shows e em reuniões familiares. O CMSBH não propõe o fechamento do comércio levando em consideração a preocupação com a situação econômica dos pequenos e médios comerciantes e a menor letalidade da doença entre as pessoas vacinadas;

4- Ampliar a oferta de ônibus para que as aglomerações dentro dos coletivos possam ser reduzidas;

5 - A ampliação da vacinação, inclusive para as crianças;

6 - Divulgação pela PBH junto à imprensa e aos grandes veículos de comunicação sobre a gravidade da situação e da necessidade de vacinação, da manutenção do isolamento social e das medidas de prevenção à Covid-19 e demais doenças respiratórias;

7 - A ampliação do número de consultas médicas virtuais disponibilizadas nas teleconsultas do SUS-BH, considerando que as disponibilizadas até o momento são insuficientes para a demanda;

8 - A abertura de pelo menos mais três Centros de Saúde (CSs) com horário ampliado por regional;

9 – A instauração de um Plano de Contingência para todos os CS, com o adiamento de consultas eletivas (não-urgentes) para que os profissionais possam se dedicar às pessoas com queixas agudas, urgentes e sintomas respiratórios;  

10 – A abertura dos Centros de Testagem Pública da Covid-19 para a população realizar os testes e com isso desafogar os CSs e UPAs, os únicos locais que fazem teste pelo SUS em BH;

11 – Garantir a presença de agentes de segurança fixos nos CSs e UPAs durante todo o horário de seu funcionamento;

12 - Garantir equipes completas de profissionais para o atendimento dos usuários com valorização dos profissionais da saúde e oferta de atrativos para o profissional que deseja continuar no SUSBH;

Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais