Carregando...

Cidades

Imagem: Eduardo Almeida / Rede 98

CPI da BHTrans abre "caixa-preta" de licitações de empresas de ônibus

Abertura aconteceu na tarde desta quarta-feira (22) no Centro de Operações Integradas (COP-BH)

Por João Henrique do Vale e Lucas Rage

Parlamentares que integram a CPI da BHTrans, integrantes do Ministério Público de Minas Gerais e agentes da Polícia Civil abriram, nesta quarta-feira (22) oito caixas com a documentação relativa ao processo licitatório e o contrato assinado entre a PBH e as empresas de ônibus, para a concessão do serviço de transporte, em 2008.

A abertura das "caixas-pretas" aconteceu no Centro Integrado de Operações (COP-BH), no Bairro Buritis.

Na última semana, o MPMG entrou com uma ação na Justiça pleiteando a anulação da licitação do contrato. A ação, de 130 páginas, foi protocolada pela promotora Luciana Ribeiro da Fonseca, de Habitação e Urbanismo. A principal suspeita é de formação de cartel.


O vereador Gabriel Azevedo (Sem partido),  que é presidente da CPI da BHTrans, afirma que os documentos são as principais provas técnicas na investigação. “Depois de muito tempo, apareceu as caixas com as documentações.  Essa é a principal prova técnica. O processo de licitação está repleto de dúvidas sobre seu processamento.  É um conluio de empresas para fazer um cartel”,  disse o parlamentar.  

Gabriel tenta um parceria com a Polícia Civil para agilizar as análises documentais.  “Vamos entrar em contato com a Polícia Civil para firmar um termo de cooperação técnica entre a Câmara e a Polícia Civil. Queremos que a medida que for fazer a perícia,  que sejam digitalizados os documentos para agilizarmos a análise”,  comentou. 

O presidente da BHTrans, Diogo Prosdocime,  ressaltou que a análise dos documentos fazem parte do processo de transparência que eles buscam na autarquia. 

“Agora estamos preparando para entregar a documentação para a CPI e esperamos que seja mais uma etapa de transparência de não compromisso com erro.  Ou seja, se encontramos alguma coisa de errado,  vamos consertar e melhorar o serviço”,  disse o presidente da BHTrans. 

Investigação

O Delegado Jonas Andrade Pavan, da 4ª delegacia do Barreiro, acompanhou a abertura das caixas. “Chegou ao nosso conhecimento que encontraram, após um tempo de procura, as oitos caixas referentes a concessão do transporte público de Belo Horizonte. Estamos realizando diligências sigilosas para não atrapalhar as investigações. Trouxemos a perícia oficial para verificar os locais onde (as caixas) ficaram e também a perícia interna. Vamos abrir na presença de todos para verificar o que tem dentro e depois vamos lacrar para verificar se toda a documentação se encontra ou se foi suprimida e/ou adulterada. Após análise, serão juntadas aos autos”, disse.

O delegado afirma que, devido a complexidade das investigações, as análises devem demorar. Ele não fixou um prazo paras as investigações. “Vamos agilizar o máximo possível. Mas, é uma perícia complexa por ter muitos documentos. Para ser usado como provas, é necessário que exista um laudo de peritos oficiais do estado para verificar o que estão nas caixas”, completou.

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais