Carregando...

Cidades

Ex-prefeitos mineiros são presos em operação da PF contra migração ilegal

Um prefeito eleito nas eleições deste ano também foi detido

Por João Henrique do Vale

A migração ilegal de brasileiros para os Estados Unidos está mais uma vez na mira da Polícia Federal (PF). Uma operação foi deflagrada nesta quinta-feira em Governador Valadares, na Região do Rio Doce, e cidades vizinhas. Entre os alvos da ação estão ex-prefeitos, um prefeito eleito e um vice-prefeito em final de mandato.

A operação, denominada "Cai-Cai", está em sua terceira fase. As investigações, que iniciaram em outubro de 2019, fazem parte de ação de cooperação policial internacional contra o tráfico de pessoas. Os crimes começaram a ser apurados após denúncias enviadas para unidades distintas da PF, tendo em comum os mesmos suspeitos de promover a migração ilegal de brasileiros para os Estados Unidos.

Os investigados promoviam a promoção de migração ilegal, associação criminosa e envio ilegal de criança ou adolescente para o exterior. Para isso, cobravam US$ 22 mil por interessado. Os viajantes enfrentavam condições desumanas, eram forçados a corromper autoridades da imigração mexicana e ficavam submetidos aos guias, os coiotes, responsáveis pela definição das rotas arriscadas de travessia de fronteira.

Estão sendo cumpridos 11 mandados de prisão temporária e 21 mandados de busca e apreensão. A ação acontece em Governador Valadares, Tarumirim, Alvarenga, Campanário, Engenheiro Caldas, Piedade de Caratinga e Virginópolis. Entre os presos, há ex-prefeitos, um prefeito eleito e um vice-prefeito em final de mandato, todos de cidades da região de Governador Valadares.

Se condenados, os presos e demais investigados podem cumprir até 16 anos de reclusão. Na primeira fase da Operação “CAI-CAI”, um dos réus foi condenado a 127 anos, tendo sido identificados 270 crimes.

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais