Cidades

  1. Notícias
  2. Cidades
  3. Greve do metrô pode continuar até o próximo domingo, diz Sindimetro
Imagem: CMBH/Divulgação

Greve do metrô pode continuar até o próximo domingo, diz Sindimetro

Categoria foi notificada sobre a decisão do TRT que determina escala mínima em horário de pico. Mesmo assim, a medida não será cumprida


Por João Henrique do Vale

A greve dos metroviários continua na tarde desta quinta-feira em Belo Horizonte e Contagem. Todas as 19 estações do metrô estão fechadas, e assim deve continuar até o próximo domingo. Ao menos é a previsão do presidente do Sindicato dos Empregados em Transportes Metroviários e Conexos de Minas Gerais (Sindimetro/MG), Romeu Machado. 

Segundo ele, o sindicato foi notificado no fim da manhã sobre a decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT/MG) que determinou escala mínima em horários de pico. O presidente do Sindimetro afirma que, para atender a medida, é necessária uma assembleia com os trabalhadores, o que não deve acontecer até sábado. 

“A direção do sindicato tem que reunir para levar a decisão à Assembleia para ter um encaminhamento da categoria. Vamos tentar fazer a assembleia o mais rápido possível. Mas temos uma questão logística de não conseguir esse encontro até sábado. Então, é possível que a greve siga até, ao menos, o domingo”, comentou Machado. 

Decisão Judicial 

Nessa terça-feira, o TRT/MG concedeu uma liminar a CBTU determinando que os metroviários mantenham o funcionamento do metrô de BH. A decisão garante a operação integral do metrô no horário de pico, com 100% das composições operando nos intervalos mencionados. 

Em sua decisão, o desembargador de plantão, Fernando Luiz Gonçalves Rios Neto, acrescentou que “no contexto da atual pandemia, as pessoas precisam, mais do que nunca, deslocar-se aos hospitais, e os profissionais de saúde e outros trabalhadores de serviços essenciais se deslocarem até os seus postos de trabalho, de forma segura”. Em caso de descumprimento, a multa ficou definida em R$ 30 mil por dia.

Para Romeu Machado, o desembargador podia ter esperado uma audiência de conciliação antes de decidir sobre os rumos da paralisação. “A aplicação de um multa sem antes uma mediação, a gente acha injusto. Entendo que seria muito mais rápido tentar resolver o impasse com uma mediação entre as partes, e caso não tenhamos acordo, aí sim dá a decisão”, comentou. 

A CBTU emitiu uma nota, no fim da manhã, criticando a atitude dos trabalhadores de não cumprirem a decisão judicial. “A CBTU-Belo Horizonte manifesta sua indignação, em face do descumprimento da Ordem Judicial, por parte do Sindicato dos Metroviários, que resultou na paralisação total do sistema nesta quinta (23/12). A Companhia esclarece que tomará todas as providências legais, em razão do ato, bem como adotará ações internas para apurar a ação dos empregados que não se apresentaram em seus postos de trabalho, conforme determinado na liminar deferida pelo desembargador, Dr. Fernando Luiz Gonçalves Rios Neto”, afirmou. 

Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais