Carregando...

Cidades

Imagem: Governo de Minas Gerais/Divulgação

Justiça libera obras da Heineken em sítio arqueológico de Pedro Leopoldo

Luzia, o fóssil humano mais antigo das Américas, foi encontrado no local

Por Carol Torres

A Cervejaria Heineken recebeu autorização da Justiça para continuar com as obras de sua unidade de produção em Pedro Leopoldo, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A autorização foi concedida, nessa quarta-feira (6), por meio de uma liminar. Apesar do aval da Justiça, a empresa disse que decidiu manter as obras suspensas neste momento. 

Em setembro, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) embargou a área onde funcionaria a fábrica da empresa. O empreendimento, que deve produzir 760 milhões de litros por ano, causaria danos à área onde foi encontrado o fóssil humano mais antigo das Américas, conhecido como "Luzia".

Por meio das redes sociais, a Prefeitura de Pedro Leopoldo informou que foi comunicada sobre a concessão da liminar. 

"A Prefeitura de Pedro Leopoldo informa que foi comunicada sobre a concessão da liminar que permite a construção da cervejaria Heineken na cidade de Pedro Leopoldo (MG). A informação dada pela empresa é de que serão respeitados todos os entendimentos referentes ao caso e, apesar da decisão judicial permitir a completa retomada das atividades, neste momento as obras permanecerão suspensas até a finalização do diálogo com os órgãos competentes", informou a nota. 

Entenda o embargo 

Para embargar a área de 1,7 hectares, o ICMBio alegou possíveis impactos na Área de Proteção Ambiental Carste Lagoa Santa, território vizinho à construção da fábrica. De acordo com o Instituto, os estudos apresentados pela Heineken eram falhos, o que poderia causar efeitos desconhecidos e imprevisíveis na região. 

Os fiscais também informaram que a caverna Lapa Vermelha IV, onde foi encontrado o crânio de Luzia, pode ser “fatalmente afetada” pelo empreendimento. Segundo o ICMBio, no local são frequentes as descobertas de objetos pré-históricos, como instrumentos de pedra e pontas de flecha.

O ICMBio informou, ainda, que não foram apresentados estudos que permitem saber como a construção da fábrica afetará a drenagem da água do subsolo, que seria usada para a produção da cerveja. 

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais