Cidades

  1. Notícias
  2. Cidades
  3. Kalil cobra R$ 70 mi para obras na Teresa Cristina e Governo de Minas rebate; entenda
Imagem: João Henrique do Vale/Rede 98

Kalil cobra R$ 70 mi para obras na Teresa Cristina e Governo de Minas rebate; entenda

Os recursos são para a construção da bacia de contenção de cheia em uma das regiões mais atingidas por ocorrências da chuva


Por João Henrique do Vale

O prefeito Alexandre Kalil (PSD) cobrou, nesta terça-feira, a liberação de R$ 70 milhões por parte do Governo de Minas para obras na Avenida Tereza Cristina para conter as enchentes. A Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra) rebateu o administrador municipal, e afirmou que o recurso não foi liberado por falta de documentação do executivo. Enquanto isso, os moradores seguem sofrendo as consequências das fortes chuvas. Somente nos últimos quatro dias, a via foi fechada, ao menos, quatro vezes. Em uma delas, o córrego Ferrugem e Ribeirão Arrudas transbordaram. 

O montante faz parte de um acordo firmado entre as prefeituras de Belo Horizonte e Contagem, e o Governo de Minas Gerais, em maio do ano passado. Os recursos para as intervenções, da ordem de R$ 298 milhões, serão oriundos das medidas de reparação da mineradora Vale. 

Na capital mineira, a previsão é a construção de uma bacia de contenção de cheia na Vila Esporte Clube, em Belo Horizonte. Em entrevista coletiva, o prefeito Alexandre Kalil afirmou que a licitação está pronta para as obras, mas que ainda é necessário o repasse de parte da verba pelo Governo de Minas. 

"Precisamos do governo do Estado, é 70 milhões. Esta licitação está parada na procuradoria porque nós não podemos licitar sem orçamento. É só o governo do Estado repassar os 70 milhões que diz que ia repassar, que a prefeitura vai colocar mais R$ 20 milhões, e nós temos orçamento para a bacia, que é o importante", comentou. 

O prefeito afirmou que, assim que for repassado o dinheiro, em 48 horas a licitação será lançada. 

Governo de Minas rebate 

Por meio de nota, a Seinfra afirmou que aguarda a publicação de documentos por parte da prefeitura para liberar o dinheiro. “Na última semana as equipes da PBH concluíram a orçamentação para execução da bacia de detenção, porém, a formalização do convênio ainda depende da inserção completa da documentação por parte da prefeitura no Sistema de Gestão de Convênios do Estado (Sigcon). Quando houver a inserção de toda documentação obrigatória prevista pela legislação vigente e a análise técnica pelo Estado, será formalizado o Convênio e efetuado o repasse”, finalizou. 

Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais