Carregando...

Cidades

Onda roxa em MG: “Estamos fazendo para evitar cenas de horror”, diz Zema

Governador afirmou que a demanda por leitos devido a Covid-19 é maior do que os disponíveis

Por João Henrique do Vale

Minas Gerais chegou no colapso da Saúde por causa da Covid-19.  Em entrevista coletiva,  realizada na manhã desta terça-feira,  o governador Romeu Zema (Novo) afirmou que há mais demanda por atendimento do que leitos disponíveis no estado.  Por causa disso, à partir desta quarta-feira todas as cidades mineiras terão toque de recolher e somente os serviços essenciais ficarão abertos

Neste um ano de pandemia,  Minas Gerais dobrou o número de leitos.  As  Unidades de Terapia Intensiva (UTI) passaram de 2 mil para 4 mil,  e enfermaria,  passou de 10 mil para 20 mil. 

Mesmo com as medidas,  tivemos aumento grande nos casos e óbitos,  muito por causa das novas cepas. Não é exclusividade de Minas, mas todo mundo.  Chegamos em um momento que estamos em colapso.  Mais pessoas procuram os hospitais do que temos capacidade de atendimento”, alertou Zema. 

O secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti,  ressaltou que a alta de ocupação atinge todas as regiões de Minas. 

Pior momento de todos os 12 meses de pandemia.  Estamos vivendo momento de alta taxa de incidência e alta ocupação em todo estado.   Não temos mais capacidade de transferir paciente de uma macrorregião para outra”, disse. 

O secretário ressaltou que o comportamento da população também deve mudar. “A onda roxa tem que ser uma mudança de comportamento da população.  Não adianta fechar o comércio”. 

Minas negocia vacinas 

O Governador Romeu Zema afirmou que negocia com cinco laboratórios para a aquisição de vacinas. “Estamos negociando com cinco laboratórios, a Pfizer, Janssen, Astrazeneca, Coronavac, e Sputnik. Se esses laboratórios fornecerem para estados e municípios, Minas terá vacinas”, comentou Zema. 

Futebol

O governo de Minas é contra os jogos de futebol de fora do estado. “Seria muito incoerente anunciar medidas tão duras e permitir que jogos de outros estados em Minas. Lembrar que na onda roxa os hotéis não podem permitir os hóspedes”, disse o secretário de saúde. 

Sobre os jogos do campeonato mineiro, uma reunião vai definir o que será feito.“Consideramos incoerente ter qualquer tipo de jogo. Vamos nos reunir com as federações para achar uma definição sobre isso. Mas a área técnica acredita que não deve ter na onda roxa”, finalizou Baccheretti.

Ajuda aos comerciantes 

A Secretaria da Fazenda está fazendo um estudo para viabilizar ajuda financeira para os comerciantes do estado que estão tendo que fechar as portas devido a restrição de circulação nas cidades. O governador afirmou que vai tomar medidas para ajudar os empresários. 

Medidas foram adiantadas por ele, como a disponibilização de um novo Refis. “O governo federal já aprovou um novo auxílio. Já solicitei o que pode ser feito para as empresas de Minas que serão afetadas em março. Já aprovamos no Confas um novo refis que será disponibilizado para a população em geral. E estamos aguardando a manutenção do programa de emprego. Já que muitas pessoas terão o horário de trabalho comprometido com a vigência”, disse Zema. 

O Governador afirmou que já conversou com as empresas de água e energia para dar uma atenção às pessoas que não conseguirem quitar as contas

Um auxílio ao setor de entretenimento e cultura também está sendo pensado. “Sabemos que esse público é um dos mais afetados. A lei Adir Blanc ajudou muito, mas teremos que tomar outras medidas”, finalizou o governador.

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais