Carregando...

Cidades

Uma organização criminosa responsável por promover a entrada ilegal de brasileiros nos Estados Unidos está na mira da Polícia Federal (PF). Mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos contra os integrantes da quadrilha, que está sediada em Caratinga. Os investigados podem pegar até nove anos de prisão.

A ação da PF é chamada de Operação Lei do Retorno. A investigação faz parte de ação de cooperação policial internacional contra o tráfico de pessoas. Agenciadores que vivem no Brasil foram identificados. As apurações apontam que o grupo recebia vantagem econômica para promover a entrada ilegal de brasileiros nos EUA.

De acordo com a PF, as vítimas, que em sua maioria eram pessoas que viviam em situações degradantes, desembolsavam entre US$ 15 mil e US$ 18 mil pela logística da viagem – passagens aéreas, hospedagens, transportes terrestres e contratação, em solo mexicano, dos guias denominados coiotes, responsáveis pela travessia da fronteira com os EUA.

Um brasileiro de Tarumirim, foi preso em agosto pela Polícia de Fronteira dos EUA por ingresso ilegal e enviado de volta ao México. Ele foi encontrado morto 11 dias depois em área da fronteira entre El Paso e Texas. Uma das linhas investigativas considera a hipótese de que o homicídio decorreu da impossibilidade de arcar com dívidas assumidas junto aos coiotes, parceiros dos agenciadores da região de Caratinga.

Os mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em Caratinga e Tarumirim. Os investigados responderão pelos crimes de associação criminosa e de promover, por qualquer meio, com o fim de obter vantagem econômica, a entrada ilegal de brasileiro em país estrangeiro.

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais