Cidades

  1. Notícias
  2. Cidades
  3. Professores da rede municipal de ensino de Belo Horizonte decidem manter a greve
Imagem: SindiRede / Divulgação

Professores da rede municipal de ensino de Belo Horizonte decidem manter a greve

Decisão foi votada hoje durante assembleia em frente à Prefeitura da capital


Por Victor Duarte

Durante assembleia realizada nesta terça-feira (29), os professores da rede municipal de ensino de Belo Horizonte decidiram manter a greve dos servidores. A categoria pede o reajuste do piso pago na capital aos níveis nacionais, que representa um aumento de 33%. Eles pediram um posicionamento da Prefeitura e da Guarda Municipal em relação aos professores agredidos durante manifestação em frente ao Executivo Municipal na semana passada. 

Os grevistas decidiram incluir, na pauta da greve, o pedido pela saída da secretária municipal de Educação, Ângela Dalben. A Prefeitura de Belo Horizonte marcou uma reunião de negociação, para esta quarta-feira (30), às 14 horas. O Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Pública Municipal de Belo Horizonte (SindiRede-BH) informou que, caso as conversas não avancem, uma nova assembleia será marcada para a próxima sexta-feira (1). 

Ainda segundo o SindiRede-BH, outro ponto levantado foi a paralisação das Escolas Municipais e EMEI’s que, conforme o sindicato, já chega a 93%. Foi lido durante a assembleia um manifesto assinado por mais de 70 escolas da Rede Municipal. O Sind-REDE vem recebendo várias manifestações de apoio à greve e de repúdio a violência sofrida pelos professores.

Agressões

De acordo com o SindiRede-BH, novos vídeos, divulgados nesta terça-feira (29), mostram a ação dos guardas e o momento em que um deles atira contra os manifestantes. Um professor foi atingido no rosto, chegou a ser atendido no Hospital João XXIII, mas passa bem. O SindiRede alega ainda que, em outro trecho do vídeo, é possível ouvir um dos guardas dizer que precisaria deter o professor agredido por resistência, já que ele é o único que estaria "na mão" dos guardas. 

A Prefeitura de BH informou que, "o caso está sendo acompanhado pela Ouvidoria e pela Corregedoria da Guarda Municipal e todos os encaminhamentos cabíveis estão sendo adotados para garantir o devido esclarecimento dos fatos. A ocorrência foi registrada também na Delegacia de Polícia Civil, que também irá investigar o episódio".

Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais