Cidades

  1. Notícias
  2. Cidades
  3. Projeto de lei da redução de R$ 0,20 na tarifa de ônibus de BH tem tramitação suspensa
Imagem: PBH / Divulgação

Projeto de lei da redução de R$ 0,20 na tarifa de ônibus de BH tem tramitação suspensa

A análise da proposição não vai acontecer, pois a prefeitura a retirou de pauta. Executivo afirma que a decisão foi de comum acordo com os vereadores


Por João Henrique do Vale

O projeto de lei da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) que sugeria a diminuição de R$ 0,20 na passagem de ônibus da capital mineira foi retirado de tramitação. Com isso, as análises da proposição estão suspensas. A medida foi tomada pelo líder do Governo na Câmara, vereador Bruno Miranda (PDT), pouco tempo antes da reunião na Comissão de Legislação e Justiça, onde a pauta seria analisada. Parlamentares que compõem o grupo ficaram insatisfeitos com a medida. 

No projeto de lei, a prefeitura prevê um repasse mensal para as empresas de ônibus, em torno de R$ 12 milhões, para arcar com os custos da gratuidade. Por meio de nota, o executivo municipal informou que a retirada de tramitação foi acordada durante reunião do Grupo de Trabalho para Discussão da Mobilidade Urbana de Belo Horizonte (GT-MOBBH). “Uma nova proposta, com formato acertado entre Prefeitura e Câmara Municipal, será encaminhada à Casa”, completou. 

O vereador Irlan Melo (Sem partido) afirmou que um novo projeto deve ser enviado pela prefeitura com sugestões de vereadores e também do Ministério Público de Minas Gerais. Ele também pediu agilidade neste processo. “Eu costumo dizer que está muito ruim para a PBH o contrato, os empresários também dizem que está ruim, e imagina para os usuários. Para eles está péssimo. Então, temos que agilizar isso e vamos ver se a chega em um acordo para dar uma solução neste contrato que é péssimo para a cidade”, disse. 

Já o vereador Gabriel (Sem partido) criticou a ação da prefeitura de retirar o projeto de tramitação. Segundo ele, os parlamentares são a favor de um subsídio emergencial, mas, para isso, algumas condicionantes devem ser cumpridas. Entre elas, retorno de 30% a mais de viagem, tendo março de 2022 como referência, volta dos veículos na noite e madrugada, e congelamento da tarifa por um ano. 

“Solicitei no projeto diliggências, ou seja, perguntas para a prefeitura responder, além dos ministérios públicos estadual e de contas. Porém, de última hora, sem avisar, a prefeitura suspende o projeto de modo que as perguntas sejam respondidas. Concordo que vamos precisar de um outro texto, mas ele também vai precisar das mesmas respostas, ou quase todas elas”, comentou. 

Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais