Cidades

  1. Notícias
  2. Cidades
  3. Repórter se fere com explosão de bomba em protesto das Forças de Segurança em BH
Imagem: Karic Jony/ Rede 98

Repórter se fere com explosão de bomba em protesto das Forças de Segurança em BH

Jornalista da Band Minas teve trauma auditivo após artefato explodir ao seu lado em ato, na Praça da Estação; bombas estão proibidas durante a manifestação


Por Lucas Rage

A jornalista Laura França, da TV Band Minas, se feriu durante cobertura dos protestos das forças de segurança pública de Minas Gerais, que acontecem ao longo de todo o dia na capital mineira. 

Segundo a própria emissora, Laura sofreu trauma auditivo após uma bomba explodir ao seu lado. Incidente aconteceu na Praça da Estação, no Hipercentro, na parte da manhã. 

O repórter Caio Tarcia, também do Grupo Bandeirantes, foi hostilizado por manifestantes e teve uma bomba lançada em sua direção. 

Ainda segundo a TV Bandeirantes, Laura foi socorrida, e passará por acompanhamento médico para avaliar a extensão do trauma auditivo.

"O Grupo Bandeirantes repudia e cobra providência acerca dos incidentes ocorridos durante a manifestação das forças de segurança pública em Minas Gerais que colocaram em risco a integridade física de dois profissionais da empresa: Laura França, da TV Band Minas, e Caio Tárcia, da Rádio BandNews FM BH", informou a empresa, por meio de nota. 

"A Band repudia a atitude dos manifestantes e cobra da Polícia Militar o acompanhamento do protesto, garantindo a segurança dos envolvidos, inclusive dos profissionais da imprensa. A emissora também exige responsabilidade das categorias envolvidas no ato e solicita o acompanhamento do caso pelo governo de Minas, pelo Ministério Público e pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG)", completou. 

Por meio de nota, a Polícia Civil informou que "adotou medidas para apurar a autoria, materialidade e circunstâncias da prática de possível ato que provocou ferimentos em jornalista que trabalhava na cobertura dos protestos "

Bombas proibidas

O uso de bombas e artefatos explosivos está proibido durante manifestação de servidores da segurança pública do estado. Medida foi decretada pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais, sob pena de R$ 100 mil. Servidores também estão proibidos de irem aos protestos armados.

Apesar da orientação, ambas as medidas não vêm sendo seguidas por parte dos manifestantes. 

Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais