Carregando...

Cidades

Imagem:

Rodoviários de BH suspendem greve após audiência de conciliação

Os trabalhadores deram um prazo até sexta-feira para as empresas fazerem proposta de reajuste salarial. Caso contrário, irão retomar o movimento

Por João Henrique do Vale e Lucas Rage

A paralisação dos rodoviários de Belo Horizonte foi suspensa na tarde desta terça-feira (23). A medida foi tomada pelo sindicato que representa os trabalhadores em audiência de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais (TRT/MG). Com a decisão, os ônibus devem voltar a circular normalmente na capital mineira nas próximas horas. 

A suspensão do movimento grevista foi decidida com a condição das empresas apresentarem uma proposta de reajuste salarial linear até sexta-feira (26). Caso contrário, irão retomar o movimento

O Setra afirmou que já estão acertadas 70 cláusulas junto aos trabalhadores, mas que nove ainda precisam ser discutidas.

O Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário (STTR/BH) se pronunciou, por meio de nota.

"Vale lembrar que o estado de greve foi aprovado pelos trabalhadores frente a postura intransigente dos empresários, que se recusaram a avançar nas negociações, oferecendo reajuste zero para a categoria. Fato que evidencia um total desrespeito aos operadores do transporte coletivo que, desde 2019, não recebem qualquer tipo de reajuste no contrato de trabalho. 

Entretanto, a mobilização dos Rodoviários chamou a atenção das autoridades e levou uma negociação estagnada para o TRT. A greve, cumpre os tramites legais e demonstra a força de uma categoria que não irá aceitar imposições indecorosas, como reajuste zero, para fechar a Convenção Coletiva de Trabalho. 

Pesa na suspensão da paralisação, o compromisso que cada rodoviário tem com a população, além do voto de confiança ao Desembargador Fernando Luiz Gonçalves Rios Neto, que passou a mediar os debates. 

Dos patrões, esperamos apenas respeito e ética no retorno das negociações, caso contrário, a greve será mantida como forma de preservar e garantir os direitos da categoria", afirmou a entidade.

Greve abusiva 

O prefeito de Belo HorizonteAlexandre Kalil, classificou como “abusiva” a paralisação de funcionários de empresas de ônibus, que acontece desde segunda-feira na capital.

Kalil participou de audiência de conciliação entre empregados e empresas de ônibus, intermediada de forma remota pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT/MG). Além do prefeito, participaram do encontro o presidente da BHTransDiogo Prosdoscimi, e o Procurador-Geral do MunicípioCastellar Guimarães Filho.

“A greve é abusiva, ela desobedece frontalmente a decisão de vossa excelência ontem. Temos linha com 0%, temos piquetes, estamos descobertos, com uma desobediência à justiça flagrante” afirmou Kalil, em fala ao desembargador Dr Fernando Luiz Gonçalves Rios Neto, 1º vice-presidente do TRT. 

“Temos como mensurar cada carro, cada ônibus que sai. A cada minuto, a cada ponto que para, por sistema de GPS. Nós temos prova de que a greve tem a intenção de levar o caos, por que não há porque levar o caos para a população. Se tivesse sido cumprida a ordem desse tribunal, estaríamos discutindo o tema com mais calma. Tivemos no máximo o número de 30 e poucos por cento de linhas [circulando]”, completou.

Reajustes de passagens

Em sua fala, Kalil ainda descartou um eventual reajuste de passagens de ônibus na capital. “Vamos lembrar que ela está na justiça, em uma ação que o Setra impetrou. Precisamos aguardar a decisão judicial para avaliar se podemos estudar ou não o reajuste em 26 de dezembro, que é a previsão contratual”, afirmou Kalil.

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais