Cidades

  1. Notícias
  2. Cidades
  3. Sarampo: Secretaria de Saúde convoca vacinação de crianças até 5 anos
Imagem: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Sarampo: Secretaria de Saúde convoca vacinação de crianças até 5 anos

Campanha só atingiu 11% do público-alvo em Minas Gerais. No próximo sábado (30), postos de saúde ficarão abertos para campanha do ‘Dia D’


Por Déborah Lima

A baixa imunização contra Sarampo coloca a população mineira em alerta. A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) convoca pais e responsáveis a levarem crianças de seis meses a menores de cinco anos de idade ao posto de saúde mais próximo para vacinação gratuita.

Neste sábado (30) haverá o Dia D de Mobilização para incentivar a proteção. As Unidades Básicas de Saúde em todo o estado estarão abertas para a administração da vacina. 

Baixa procura

A 8ª Campanha Nacional de Seguimento contra o Sarampo teve início no último dia 4 e segue até 3 de junho. Porém, até o dia 26, foram vacinadas apenas 128.323 crianças, de um total de 1.165.916 estimadas no Estado, pouco mais de 11%. Os dados são do sistema de informações do Ministério da Saúde. 

O alerta vale também para os trabalhadores da saúde, outro público contemplado nesta fase da campanha. Até o momento, se imunizaram 130.148 pessoas desse segmento, de um total estimado em 606.091 indivíduos em Minas Gerais (21,5%). 

Três doenças

O esquema vacinal prevê duas doses e o imunizante utilizado protege contra sarampo, caxumba e rubéola.

Em 2021, a cobertura vacinal da primeira dose (D1) foi de 79,82% das crianças com 12 meses de idade, e da segunda (D2) foi de 64,52% das crianças com 15 meses de idade.

A meta preconizada pelo Ministério da Saúde é de 95%. 

Sarampo 

O sarampo é uma doença infecciosa, aguda, transmissível e extremamente contagiosa, podendo evoluir com complicações e óbito, particularmente em crianças menores de um ano de idade. Porém, pode ser protegida por meio da administração da vacina tríplice viral.

Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais