Economia

  1. Notícias
  2. Economia
  3. Ainda dá tempo de poupar ou investir esse ano?
Imagem: Pixabay

Ainda dá tempo de poupar ou investir esse ano?

Chegamos em julho e é muito provável que nossas metas já estejam enfiadas em um fundo de gaveta qualquer, mas não se frustre


Notícias

Samuel Barbi

Especialista em economia, entra ao ar às segundas-feiras com a coluna MundoZFundos, no RádioCast 98


Em janeiro todos ficam empolgados com as resoluções de ano novo, afinal neste ano vai ser diferente. Mas, já chegamos em julho e é muito provável que nossas metas já estejam enfiadas em um fundo de gaveta qualquer. Não se frustre, planejamento é assim mesmo, serve para nos dar um norte e, os fracassos, podem se tornar em poderosos aprendizados para corrigirmos a rota ao longo do caminho. Meio ano se passou, é hora de revisar o roteiro e seguir em frente.


Em um planejamento anual tento responder três perguntas:


1)   O que me inspira profundamente?


Eu penso que investimentos são uma ponte para a melhoria da qualidade de vida. Carrego valores de uma vida simples, mas com riqueza, reduzindo o consumismo e atribuindo valores para o que realmente importa: relacionamentos sólidos, viagens, gastronomia, experiências de vida. O que te inspira? Suas atitudes diárias devem te direcionar para esse grande foco.


2)   Qual é o meu talento especial?


Se eu me vejo com talentos para comunicação e ensino, por exemplo, devo investir meu tempo para produzir coisas que combinem com essas qualidades. O tempo que invisto todas as semanas no Radiocast, por exemplo, seja participando do programa ao vivo ou escrevendo as colunas semanais. Você investe tempo e recursos em seus talentos especiais?


3)   O que atende a uma necessidade importante do mundo?


Percebo que o conhecimento que tenho em finanças, economia e investimentos é muito útil para transformar a vida das pessoas. Então me disponibilizo a escrever sobre esses assuntos, capacitar e mentorar aqueles que se dispõem a se aprimorar nesses temas. 


É respondendo a estes três questionamentos que definimos nossas metas anuais. Todo planejamento é vazio se não houver monitoramento, portanto, cabe a nós acompanhar mensalmente os resultados, a fim de observar nosso progresso e ajustar os ponteiros. As principais metas que coloco pra mim mesmo são:


●    Metas de Trabalho: É possível enquadrar em seu trabalho itens que estejam relacionados a sua inspiração, talento e atendimento de uma necessidade das pessoas? Se não for, talvez seja hora de começar a mudar de rota. Veja exemplos de metas de trabalho:

○    Escrever 40 colunas de educação financeira no ano;

○    Participar do RadioCast semanalmente;

○    Escrever um livro;

○    Lançar um curso sobre como investir com tranquilidade.

●    Metas Familiares: Construa relacionamentos saudáveis e que partilhem de objetivos compatíveis com os seus.

○    Levar os filhos para passear uma vez por semana;

○    Investir tempo em seu relacionamento todos os dias;

●    Metas de Saúde: Você cuida da sua saúde para poder dar toda sua contribuição à família, amigos, trabalho?

○    Seguir o plano da nutricionista por 6 dias na semana;

○    Se exercitar por 200 dias no ano;

○    Fazer um checkup médico em agosto.

●    Metas de Educação: Você estuda para se capacitar nos temas que admira?

○    Ler um livro por mês;

○    Realizar um curso sobre investimentos até agosto;

○    Realizar um curso sobre empreendedorismo até novembro.

●    Metas Financeiras: Gaste menos do que ganha, invista bem e procure fontes alternativas e adicionais de renda.

○    Construir sua reserva de emergência (6 meses de salário aplicados no Tesouro Selic ou um CDB de liquidez diária com rentabilidade igual ou acima de 100% do CDI);

○    Investir 500 reais por mês em fundos imobiliários;

○    Investir 300 reais por mês em ações.


Esteja atento que metas precisam ser SMART, ou seja: 1) Específicas (S de Specific) 2) Mensuráveis (M); 3) Atingíveis (A); 4) Relevantes; 5) Temporais. O ato de escrever e acompanhar suas metas faz com que você crie esforços para atingi-las ao longo do passar do tempo.


Mesmo em momentos difíceis como os que enfrentamos na economia, sempre é tempo de poupar e investir. Não invista o que sobra de seu orçamento, mas defina objetivamente o quanto vai investir no mês e viva com o restante. Ao longo do tempo, essa difícil mas importante decisão, vai gerar frutos fantásticos e te permitir uma considerável melhoria de qualidade de vida. Mas é preciso ter dedicação, consistência e persistência. Planeje-se bem, monitore suas metas e use os investimentos como uma ponte para uma vida melhor.


* Esta coluna tem caráter opinativo e não reflete o posicionamento do grupo.
Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais