Carregando...

Economia

Imagem: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Federação das Indústrias de MG se posiciona contra Reforma Tributária

Entidade acredita que o texto do projeto não contempla a simplificação dos tributos, um pedido antigo da classe empresarial do país

Por Da Redação

A Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG) se posicionou contrária à proposta da Reforma Tributária enviada pelo governo ao Congresso Nacional. A entidade acredita que o texto do projeto não contempla a simplificação dos tributos, um pedido antigo da classe empresarial do país.

A Reforma Tributária que tramita na Câmara dos Deputados propõe a reformulação do sistema tributário brasileiro, simplificando a arrecadação de taxas, impostos e contribuições, e substituindo cinco tributos (PIS, Cofins, IPI, ICMS e ISS) pelo Imposto sobre Bens e Serviços (IBS). A proposta, no entanto, esbarra na redução dos custos administrativos por parte do governo federal.

Segundo o presidente da FIEMG, Flávio Roscoe, o projeto de Reforma Tributária não deveria ser votado antes da Reforma Administrativa (PEC 32/20). “Os empresários entendem que reforma tributária ideal deve ser aquela que unifica e simplifica impostos, colaborando para redução do custo Brasil. Isso só será possível com o enxugamento da máquina pública, ou seja, com o corte de custos administrativos do fisco”, afirma Roscoe.

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais