Carregando...

Economia

Imagem: Reprodução / Internet

Invista para mudar o mundo: apoie seus ideais lucrando!

Conheça três dicas para investir, apoiando os princípios e valores das novas gerações!

Notícias

Samuel Barbi

Especialista em economia, entra ao ar às segundas-feiras com a coluna MundoZFundos, no RádioCast 98


Está insatisfeito com o mundo como ele é? Quer transformar a sociedade? Você sempre pode fazer algo pelos seus ideais, inclusive em relação aos seus investimentos.

Associar investimento a busca pelo lucro a qualquer preço é algo que tem caído em desuso. As empresas estão compreendendo que os seus resultados precisam estar associados a propósitos que levem em consideração questões mais amplas como proteger o meio ambiente, reduzir o aquecimento global, fomentar energias renováveis, promover a diversidade e inclusão social. As ideias de um mundo mais justo e ecologicamente correto já não competem diretamente com o ambiente capitalista. E podem coexistir, em paz.

Grandes causas precisam de dinheiro para virar realidade. E é possível apoiá-las, inclusive lucrando. Um dos termos que tem despontado no mundo dos negócios é o conceito de ESG (ou ASG, em português). A sigla significa que as empresas devem ser ambientalmente responsáveis (E de Environmental ou A de Ambiental), socialmente inclusivas (S) e manter governança (G) exemplar.

Estudos apontam que empresas que zelam pela sustentabilidade tem melhor desempenho ao longo do tempo. Isso faz sentido, pois um forte senso de coletividade as faz conectarem mais profundamente com as pessoas e melhor responderem as demandas de seu público. Ao longo do tempo, a adaptação às diferentes gerações é um instrumento que impulsiona a rentabilidade dos negócios e garante sua sobrevivência.

Pressupor que as novas gerações irão investir da mesma forma que seus pais faziam é um grande equívoco. Uma pesquisa da Deloitte demonstra que 87% dos millennials acreditam que o sucesso das empresas vai além do desempenho financeiro. Outra da Morgan Stanley exibe que pessoas com menos de 35 anos tem uma probabilidade duas vezes maior do que outros grupos de vender ações caso considerem que o comportamento da empresa é social ou ambientalmente inadequado. Por fim, conforme dados da consultoria Cerulli Associates, os millennials (nascidos entre 1981-96) estão ampliando sua participação no mercado e, até 2042, também terão herdado cerca de US$ 22 trilhões da geração Baby Boomer (1945-60), o que já está orientando uma transformação sobre as diretrizes das empresas.

No mercado já são disponibilizadas uma série de ferramentas que facilitam a tomada de decisões de investimento orientadas para os princípios das novas gerações, em geral com aplicações mínimas de R$100,00. Abaixo listo alguns:

·        Empoderamento feminino (ETF SHE / Trend Lideranças Femininas FIM):

O SHE é um fundo que seleciona somente empresas americanas que tenham mulheres em cargos de liderança. São avaliadas as 1000 maiores companhias e os percentuais de mulheres em cargos de CEO, diretoria ou conselho administrativo. Para fazer parte desse fundo, as empresas precisam ter, no mínimo, uma mulher nessas posições. O peso individual máximo de cada empresa no fundo é de 5%. No mercado brasileiro, esse fundo é replicado pelo “Trend Lideranças Femininas FIM” gerido pelo grupo XP. O início da operação deste fundo ocorreu em setembro de 2020 e já acumula 36,46% de rentabilidade no período.

 ·        Empresas ESG (Trend ESG Global Dólar FIM)

O objetivo do fundo é obter retornos de longo prazo por meio do investimento em ações de empresas com elevado nível de práticas Ambientais, Sociais e de Governança (ESG em inglês). O investimento é feito a partir de três fundos listados em Bolsas internacionais com as seguintes proporções de ações: 50% nos Estados Unidos; 40% em outros mercados desenvolvidos e 10% em mercados emergentes. Nos últimos 12 meses o fundo teve 27,55% de rentabilidade.

 ·        Energias Renováveis (Trend Energias Renovaveis FIM)

O Trend Energias Renováveis com foco no investimento em empresas geradoras e distribuidoras de energias renováveis em todo planeta. O fundo gerido pelo grupo XP teve início em fevereiro de 2021 e replica o ETF (fundo listado em bolsa) iShares Global Clean Energy, gerido pela BlackRock, maior gestora do mundo. Sua rentabilidade no período está negativa, em -15,54%, mas o fundo é novo e algumas perdas ao longo da trajetória são comuns em renda variável.

Esses são apenas alguns exemplos, mas há fundos de investimentos relacionados a empresas de saúde, tecnologia, carbono zero e até mesmo relacionados ao uso farmacêutico de canabidiol (substância extraída da maconha e apresenta múltiplos potenciais terapêuticos). Enfim, não importa qual é a sua bandeira, haverá um investimento adequado para apoiar sua causa e os seus princípios. Acredito que devemos financiar quem está disposto a trabalhar em temas que apoiamos e, visar a construção de lucros aliados com o desenvolvimento de um mundo melhor. Capitalismo, democracia e liberdade são aliados nesse processo, não inimigos.

* Esta coluna tem caráter opinativo e não reflete o posicionamento do grupo.
Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais