Economia

  1. Notícias
  2. Economia
  3. Redução do ICMS sobre o etanol pode “contribuir com poder de compra”, afirma CDL/BH
Imagem: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

Redução do ICMS sobre o etanol pode “contribuir com poder de compra”, afirma CDL/BH

Câmara de Dirigentes Lojistas da capital comemorou queda na alíquota, anunciada nesta segunda-feira pelo Governo de Minas Gerais


Por Lucas Rage

A redução da alíquota do ICMS do etanol, de 16% para 9%, pode contribuir para o aumento do poder de compra dos mineiros. Avaliação foi feita nesta segunda-feira (18) pelo presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), Marcelo de Souza e Silva.

“A diminuição do valor do tributo impacta positivamente os setores da economia como indústria, transportes, logística, comércio e serviços que, apesar da inflação, seguem com boas perspectivas de crescimento” afirmou o presidente, em nota.

 Ainda segundo a CDL/BH, a desoneração tributária se faz essencial, em tempos de recuperação econômica em Minas e no país. “Cada vez mais o poder público entende que o atual sistema tributário do país, apesar de gerar uma grande arrecadação para as contas públicas, reduz o poder de compra das famílias e, consequentemente, toda a cadeia ligada ao consumo fica estagnada”, completa Marcelo. “A redução dos impostos sobre os combustíveis em Minas Gerais, certamente, trará alívio para o consumidor e incentivará o consumo em outras vertentes como, por exemplo, o dinheiro economizado no abastecimento pode ser empregado na compra de outro produto ou serviço”, continua.

 A redução no ICMS do etanol foi anunciada nesta segunda-feira pelo governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo). “O ICMS do etanol em Minas passará de 16% pra 9%, a partir de hoje. Além de seguir aliviando o bolso dos mineiros, a redução do imposto manterá a competitividade do biocombustível, importante gerador de empregos em nosso Estado”,  explicou, pelo Instagram. Segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo do Estado de Minas Gerais (Minaspetro), a queda no valor do combustível pode chegar a R$ 0,35.

Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais