Economia

  1. Notícias
  2. Economia
  3. Tanqueiros de MG e distribuidoras se reúnem para discutir fim de greve
Imagem: Eduardo Almeida / Rede 98

Tanqueiros de MG e distribuidoras se reúnem para discutir fim de greve

Categoria afirma que se empresas aumentarem o preço do frete a paralisação terá fim


Por João Henrique do Vale

A paralisação dos tanqueiros de Minas Gerais pode ter fim na tarde desta sexta-feira. Represetantes da categoria e das distribuidoras vão se reunir para discutir o preço do frete.  Se houver reajuste no valor, os trabalhadores prometem retornar aos trabalhos. 

O encontro está marcado para às 13h.  O presidente do Sindicato das Empresas Transportadoras de Combustíveis e Derivados de Petróleo do Estado de Minas Gerais (Sindtanque-MG),  Irani Gomes,  vai representar os tanqueiros.  De acordo com o advogado da categoria, Rodrigo Bravim,  a principal reivindicação seráo aumento do preço do frete. 

“Cada empresa tem que negociar diretamente com as distribuidoras. Como o sindicato representa várias empresas,  vamos pleitear esse reajuste.  Se formos atendidos,  a greve será encerrada”,  garantiu o advogado. 

Os tanqueiros também querem que o Governo de Minas Gerais diminua o valor do ICMS cobrado nos combustíveis. “A negociação está parada.  Queremos mostrar para o gover o que o aumento do combustível provocou ganhos ao estado.  O Combustível representa 20% da arrecadação de Minas.  Nos últimos meses,  o combustível teve um reajuste de 50% no preço”, explicou. 

Filas e falta de combustível 

A Rede 98 percorreu diversos postos de combustíveis de Belo Horizonte e na região metropolitana.  Em todos eles,  as cenas se repetiam.  Ou longas filas se formavam na entrada dos estabelecimentos,  ou os locais estavam vazios devido ao desabastecimento de gasolina,  etanol ou Diesel. 

Na porta da refinaria Gabriel Passos,  em Betim,  na Grande BH, dezenas de caminhões aguardam para abastecer.  Mesmo com a presença da Polícia Militar (PM),  que está escoltando os motoristas que não querem aderir a paralisação,  muitos temem retaliação. 

Um dos condutores,  que não quis se identificar,  informou à reportagem que está no local desde quinta-feira.  “Estou aguardando para abastecer. Preciso levar o combustível para São Roque de Minas. Fico com medo de ter meu veículo quebrado”,  comentou.

Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais