Carregando...

Economia

Imagem: Volkswagen / Divulgação

Volkswagen anuncia paralisação de suas operações no Brasil por falta de peças

Montadora sofre com a falta global de semicondutores. Situação já fez GM e Nissan pararem suas fábricas no Brasil

Por Marcello Oliveira

Após suspender a produção nas fábricas de Taubaté, no interior de São Paulo, e São José dos Pinhais, no Paraná, a Volkswagen anunciou nesta sexta-feira (11), que vai parar, também por dez dias, as atividades produtivas em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, onde monta os modelos Polo, Virtus, Nivus e Saveiro.

O motivo é o mesmo que levou a montadora a interromper na última segunda-feira (14), a produção das duas outras fábricas: a falta de componentes eletrônicos em decorrência da escassez global de semicondutores. O problema também causou interrupção da produção de carros nas fábricas da Chevrolet e Nissan no Brasil.

A paralisação em São Bernardo começa no dia 21 de junho, data a partir da qual a montadora também vai suspender por dez dias a produção de motores em São Carlos, no interior paulista. A Volkswagen, além disso, decidiu adiar para 1 de julho a volta das atividades no Paraná, antes prevista para a próxima quinta-feira.

Em nota, a montadora adianta que novas paralisações não estão descartadas caso o cenário global de fornecimento de semicondutores permaneça crítico. Agora, chega a dez o número de fábricas de automóveis - ou seja, metade do total - que desde o fim do mês passado voltaram a parar ou tiveram retorno da produção adiada em razão da crise de abastecimento, mais grave agora nos componentes eletrônicos.

A Volkswagen informa que, embora venha trabalhando "intensamente" para minimizar os efeitos da escassez de semicondutores, não há sinais de normalização no fornecimento de chips. "Ao contrário, há sérios riscos de agravamento dessa situação nas próximas semanas", diz a companhia.

Situação se repete em outros países

Na América do Norte, os fabricantes mais afetados foram, nessa ordem: Ford, General Motors, Stellantis, Subaru, Volkswagen, Honda, Nissan, Toyota, Tesla e Mazda. Na Europa o cenário se repete. A Audi estabeleceu regime de meio período de jornada para 10 mil funcionários, diante da escassez de componentes eletrônicos para seguir com o ritmo satisfatório nas fábricas. A multinacional se junta à Ford, que no continente europeu interrompeu os trabalhos em três países. No Japão, entre as montadoras que interromperam parte da produção estão Toyota, Honda, Nissan, Mitsubishi e Suzuki, com um impacto estimado na produção de mais de 500 mil veículos. 

O que são semicondutores?

Tão comentados ultimamente devido sua escassez, os semicondutores são componentes eletrônicos, chips utilizados em diferentes mecanismos do carro. A falta de fornecimento começou a atingir as montadoras em massa após a pandemia causada pelo Coronavírus.

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais