Educação

  1. Notícias
  2. Educação
  3. Professores da rede particular de Minas decidem entrar em greve
Imagem: Deborah Lima / Rede 98

Professores da rede particular de Minas decidem entrar em greve

Decisão foi tomada pela categoria na manhã desta quarta-feira (1º) e passa a valer na próxima segunda (6)


Por João Henrique do Vale e Déborah Lima

Os professores da rede particular de ensino de Belo Horizonte e de outras cidades mineiras vão cruzar os braços a partir da próxima segunda-feira (6). A decisão foi tomada pela categoria em assembleia realizada nesta quarta-feira (1º). Os trabalhadores são contra mudanças na carreira propostas pelos donos de escolas

A presidente do Sinpro, Valéria Morato, afirmou que os professores cobram uma resposta dos donos das escolas. “Não houve nenhuma resposta do sindicato patronal. Ele continua ignorando a pauta entregue pelos professores e professoras, e ainda propondo retirada de direitos. E por isso a categoria decidiu por greve na próxima segunda-feira. Também foi autorizado que o sindicato entre com um dissídio e os professores também reiteraram a pauta entregue em janeiro ao sindicato patronal”, disse.

Segundo o Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais (Sinpro-MG), os donos de escolas querem retirar o desconto da bolsa de quem atrasar a mensalidade, aumentar o número de situações que permitem reduzir a carga horária dos professores sem ter de indenizá-los, incluir na Convenção uma cláusula chamada de “controle alternativo de jornada”, que cria uma oportunidade para a escola não registrar nem pagar horas extras dos professores, entre outros pontos.

Ainda segundo o sindicato, é intenção do patronal "dividir a categoria", ao propor uma Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) diferente para os docentes do ensino superior. Em relação ao reajuste, eles ofereceram 5% para a educação básica e 4% para o ensino superior – percentuais abaixo da inflação oficial.

Os docentes reivindicam recomposição salarial de acordo com a inflação acumulada desde 2020 e um ganho real de 5% (total de 25,23%), manutenção dos direitos previstos na CCT, regulamentação do trabalho virtual, entre outros pontos de valorização profissional.

A Rede 98 entrou em contato com o Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais (Sinepe-MG) e ainda aguarda um posicionamento sobre a greve.

Na próxima terça (7) haverá uma nova reunião com o Sinepe e na quarta (8) outra assembleia para definir os rumos da greve.

Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais