Internacional

  1. Notícias
  2. Internacional
  3. Após tsunami, Tonga recebe ajuda humanitária, mas teme surto de covid-19
Imagem: Força Aérea Australiana

Após tsunami, Tonga recebe ajuda humanitária, mas teme surto de covid-19

País da Oceania teve apenas um caso de covid-19 durante toda a pandemia e agora teme surto da doença com chegada de voos da Austrália e Nova Zelândia com mantimentos após país ficar incomunicável por causa de tsunami


Por Marcello Oliveira

Uma cuidadosa operação de ajuda humanitária começou hoje em Tonga, um pequeno país da Oceania que está sem comunicação com o mundo após uma devastadora erupção vulcânica seguida de tsunami, que aparentemente devastou a ilha. Austrália e Nova Zelândia, os dois maiores países do continentes, mandaram aviões carregados com mantimentos, mas Tonga teve apenas um caso de covid-19 durante toda a pandemia e por isso essa operação de ajuda teve de seguir protocolos não muito convencionais nestes casos para que ninguém na ilha seja contaminado. 

Os primeiros voos pousaram nesta quinta-feira (20) depois que a pista do Aeroporto Internacional de Fua’amotu, na capital de Tonga, Nuku’alofa, que estava coberta de cinzas do vulcão submarino Hunga-Tonga-Hunga-Ha’apai, foi limpa. 

Isso ocorre após um político do alto escalão de Tonga alertar sobre a potencial escassez de alimentos no país.

A ajuda será entregue sem qualquer contato, para evitar o risco de propagação da Covid-19 no país. Tonga vacinou mais de 80% de sua população elegível contra a doença, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Uma aeronave C-130 Hercules da Força Aérea da Nova Zelândia chegou a Tonga transportando kits de saneamento, purificação de água, abrigo e higiene, juntamente com geradores e equipamentos de comunicação.

É esperado que a aeronave fique no solo por até uma hora e meia no máximo antes de retornar à Nova Zelândia, acrescentou o comunicado. “Não haverá contato. Fomos rigorosamente disciplinados para garantir que a Covid não seja transmitida em Tonga”, disse o comandante das Forças Conjuntas da Nova Zelândia, contra-almirante Jim Gilmour.

Além disso, o navio de patrulha HMNZS Wellington deve chegar ao porto de Nuku’alofa ainda nesta quinta-feira, à frente de outros navios de abastecimento, de acordo com um comunicado do governo da Nova Zelândia.

O navio está transportando equipes hidrográfica e de mergulho e carrega um helicóptero para ajudar na entrega de suprimentos, diz a nota.

Outro navio da Marinha com 250 mil litros de água chegará a Tonga na sexta-feira (21), disse Gilmour.

O primeiro de dois aviões C-17 da Real Força Aérea Australiana também pousou em Tonga, de acordo com o ministro do Desenvolvimento Internacional da Austrália.

“Aterrissou! O primeiro voo da RAAF carregando suprimentos humanitários muito necessários pousou em Tonga, e um segundo C-17 está a caminho”, postou no Twitter o ministro Zed Seselja nesta quinta-feira. “Esses voos fornecerão abrigo, kits de higiene, EPI para pessoas que limpam as cinzas, recipientes de água e outros suprimentos para atender às necessidades imediatas”.

Enquanto isso, outro navio da Marinha australiana transportando ajuda vai “em breve navegar de Brisbane para Tonga, escreveu o Departamento de Defesa da Austrália no Twitter na quinta-feira.

“Tonga permanece livre da Covid-19 e eu assegurei ao primeiro-ministro Sovaleni que estamos colocando a mais alta prioridade em fornecer apoio da Austrália de maneira segura contra a Covid”, disse em nota o primeiro-ministro australiano Scott Morrison, na quarta-feira (19).

A Austrália fez uma promessa inicial de mais de US$ 700 mil (cerca de R$ 3,8 milhões) para o esforço de recuperação de Tonga, acrescentou Morrison.

O Ministério da Defesa do Japão disse nesta quinta-feira que também enviará duas aeronaves C-130 transportando água potável para Tonga.

O primeiro-ministro Sovaleni disse na terça-feira (18) que Tonga enfrenta “um desastre sem precedentes”, acrescentando que pelo menos três pessoas morreram e muitas outras ficaram feridas. O país está retomando aos poucos a comunicação após ficar sem nenhum contato com o resto do mundo por dias. 

Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais