Internacional

  1. Notícias
  2. Internacional
  3. Ucrânia diz que conversas com Rússia tiveram 'zero progresso' e pede mais sanções
Imagem: Pixabay

Ucrânia diz que conversas com Rússia tiveram 'zero progresso' e pede mais sanções

Ministro das Relações Exteriores da Ucrânia defendeu ser necessário tornar a Rússia isolada do comércio global e frisou a importância das sanções para lidar com o conflito


Por Estadão conteúdo

Ministro das relações exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, disse nesta sexta-feira (11), que houve "zero progresso" nas negociações com a Rússia ontem. "É difícil para mim entender a que progresso Putin está se referindo", afirmou a autoridade em entrevista à Bloomberg TV. Mais cedo, o presidente russo, Vladimir Putin, indicou, sem detalhes, ter havido algum avanço nas conversas com a Ucrânia.

"O exército russo continua na Ucrânia, a destruir nossas cidades e matar nossos civis e crianças. Isso aponta para um único fato: ainda que continuemos conversando com a Rússia, isso não tem um impacto sobre o comportamento do exército russo no chão."

"Se fôssemos membros da Otan, não teríamos esse problema", disse Kuleba. O ministro afirmou que seu país defende a si mesmo e à própria Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), que deve ser o próximo alvo de Moscou. "A Ucrânia nunca pediu para que qualquer outro exército, de país estrangeiro, lutasse por nós. Mas, uma vez que estamos lutando contra uma das maiores forças do mundo, ao menos, nos deem o que precisamos", disse.

Kuleba defendeu ser necessário tornar a Rússia isolada do comércio global e frisou a importância das sanções para lidar com o conflito. Para o ministro, ainda que Putin não venha a público dizer que sua economia está ruim e que irá deixar a Ucrânia imediatamente, sentirá a pressão de que seu país se encontra com problemas. "Ele não vai parar a guerra agora, mas seria bem pior que se não tivéssemos as fortes e consolidadas respostas dos Estados Unidos, Reino Unido e União Europeia."

Quanto à adesão ao bloco europeu, Kuleba afirmou esperar que a União Europeia fosse "mais ambiciosa" sobre a integração da Ucrânia. "Somos um grande país europeu e temos uma forte economia. A União Europeia precisa da Ucrânia europeia e a Ucrânia europeia precisa da União Europeia."

Na entrevista, o ministro disse ainda que são falsas as acusações de Putin de que a Ucrânia estaria fabricando armas biológicas.

Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais