Carregando...

Mercado Automotivo

Imagem: Renault /Divulgação

Falta de semicondutores leva Renault a paralisar fábrica no Brasil

Fechamento temporário da fábrica afetará todos os modelos; oito montadoras já fecharam fábricas no Brasil por falta de peças

Por Marcello Oliveira

A crise dos semicondutores fez parar mais uma fábrica no Brasil. Desta vez foi a Renault, que colocará em férias coletivas os seus funcionários das linhas de montagem dos modelos Sandero, Loga, Duster, Kwid e Captur, além do utilitário Master. Os modelos já não são mais produzidos desde ontem (29).

Mas apesar da falta de semicondutores e depois de ser fortemente impactada pela crise da covid-19, a Renault voltou para o azul ao registrar lucro líquido de 354 milhões de euros no primeiro semestre de 2021, segundo balanço publicado nesta sexta-feira, dia 30. No mesmo período do ano passado, a montadora teve prejuízo líquido de 7,29 bilhões de euros. A margem operacional ficou em 2,8% - taxa que deve ser mantida pela companhia ao longo de 2021, informa o documento. A receita da empresa, por sua vez, subiu 27% no mesmo intervalo, para 23,36 bilhões de euros.

Apesar dos números positivos, a Renault fez alertas para a crise de peças que atinge montadoras em todo o mundo. "Os contínuos efeitos negativos da crise de componentes podem levar a uma perda de produção de cerca de 200.000 unidades ao longo do ano", diz a montadora, que ainda fala em incertezas sobre a demanda e aumento do preço de matérias-primas.

A falta de componentes eletrônicos já afetou 14 fábricas de oito montadoras no Brasil, entre elas a General Motors e Volkswagen.

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais