Carregando...

Mercado Automotivo

Imagem: Fiat / Divulgação

Novos Fiat 500e e Mini Cooper SE chegam na onda dos elétricos

Carros híbridos ou elétricos correspondem a 1,4% do mercado brasileiro, mas tendência é que nicho se popularize

Por Marcello Oliveira

A tendência dos elétricos e híbridos no mercado mundial já é notável há alguns anos quando observamos isoladamente os mercados desenvolvidos, como o americano, europeu e o japonês, mas no Brasil, só agora que começamos a observar um movimento em prol dos carros movidos a energia alternativa. Segundo a Associação Brasileira de Veículos elétricos (ABVE), atualmente, 1,4% das vendas de veículos no Brasil é formada por carros elétricos ou híbridos. Agora, dois novos modelos chegaram para tentar turbinar a participação dos elétricos no mercado nacional, mas o preço ainda é a grande pedra no caminho.

A Mini já vende o novo Cooper SE, o primeiro modelo 100% elétrico da icônica marca britânica. O pequeno hatch três portas tem autonomia para rodar até 234 quilômetros por recarga e os preços variam de R$ 239 a R$ 259 mil. Com 184 cv de potência, o compacto não decepciona no desempenho e vai silenciosamente aos 100 km/h em 7,3 segundos.

No início desta semana, foi a vez da Fiat trazer de volta o 500, mas agora numa concepção muito mais moderna, com configuração única, que inclui um motor também 100% elétrico, Concorrente direto do Mini Cooper SE, o compacto italiano custa o mesmo que a versão de entrada do elétrico da Mini. O 500e será inicialmente vendido em apenas nove cidades do Brasil: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Florianópolis, Brasília, Recife e Campinas (SP) por R$ 239 mil, em versão única, a top de linha oferecida na Europa.

 A Fiat declara que a autonomia do novo 500 é de 320 quilômetros a cada recarga e que o motor de 87kW, que equivale a 118 cv, vai aos 100 km/h em nove segundos.

Recarga

Enquanto o Grupo BMW, que controla a marca Mini, oferece um kit de carregamento rápido para instalação na residência do proprietário, a Fiat oferecerá apenas um cabo de seis metros com tomada de três pinos para tomada residencial comum, o que leva 24 horas para a recarga total. Mas será possível realizar a recarga com um Wallbox, de recarga rápida, comprada à parte. A Fiat desenvolveu uma parceria com a brasileira WEG, que desenvolveu um carregador que faz a carga completa em até 4 horas.

A Fiat trouxe novidades que complementam o estilo retro do 500: controle de velocidade adaptativo, leitor de faixa de rodagem com correção no volante, frenagem autônoma com detecção de pedestres, leitor de placas, detector de fadiga, alerta de ponto cego e assistente de estacionamento.

 Ele também oferece 4G integrado que permite conectar até oito dispositivos ao mesmo tempo no Wi-Fi carro é feito em parceria com a operadora Tim.

Por enquanto os carros elétricos ainda são para poucos, mas a tendência é que o segmento se popularize cada vez mais. 

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais