Mercado Automotivo

  1. Notícias
  2. Mercado Automotivo
  3. Renault Kwid e-tech passa a ser o carro elétrico mais barato do Brasil
Imagem: Renault /Divulgação

Renault Kwid e-tech passa a ser o carro elétrico mais barato do Brasil

Modelo vem importado da China por R$ 142.990, mais que o dobro da versão flex de entrada


Por Marcello Oliveira

A Renault conseguiu um título cobiçado por todas as montadoras: ter o carro zero km mais barato do Brasil. Isso foi possível através do compacto Kwid e também com esse modelo que a Renault conquistou outro título: de vender o carro elétrico mais barato do país.

Ter o carro elétrico mais barato do Brasil não significa que o modelo seja realmente barato. O Kwid Elétrico (chamado de Kwid E-Tech) foi apresentado na quinta-feira (14) e já teve sua pré-venda iniciada pela rede de concessionários no país. Os R$ 142.990 do Kwid elétrico podem também comprar dois Kwid de entrada (de pouco mais de R$ 60 mil cada) e ainda sobra um bom troco.

Mas será que vale a pena comprar 1 Kwid pelo preço de 2? Bom, a ideia de que não gastaremos mais com gasolina parece ser tentadora, mas antes da decisão é bom conhecer cada detalhe do compacto elétrico.

Ao contrário do modelo Flex, que é fabricado no Paraná, o Kwid elétrico virá importado da China e terá algumas mudanças estéticas que facilmente o identificará no meio do trânsito. Na dianteira, a grade é fechada e com o logo, que se abre revelando o bocal de abastecimento. Pra choques dianteiros e traseiros também são exclusivos, assim como as lanternas traseiras, que apesar de ter mesmo formato exato, teve sua divisão interna reorganizada e ganhou uma assinatura em led. Não haverá opcionais e nem outras versões para o Kwid E-Tech. Na dianteira, elementos cromados em volta do bocal de abastecimento harmonizam com a luz de rodagem diurna em led, que fica sobre os faróis principais, que são de parábola dupla.

Motorização

O motor tem potência de 48 kW, o que equivale a 65 cv e segundo o fabricante, vai aos 50 km/h em 4,1 segundos, mas demora 14,6 segundos para ir de 0 a 100 km/h. A velocidade máxima é de 130 km/h, mas se o condutor optar pelo modo ECO, que reduz o gasto de energia, a velocidade fica limitada aos 100 km/h. Pesando apenas 977 kg, o Kwid também é o elétrico mais leve do Brasil.

Há a possibilidade de fazer a recarga em uma tomada residencial comum, mas a recarga total pode demorar mais até nove horas. Já em um wallbox, com carregadores rápidos, a bateria volta ao estado de 100% em menos de três horas, sendo que 80% dela estará disponível em 40 minutos.

Com as baterias completamente carregadas, o Kwid pode rodar até 298 km na cidade e 265 no ciclo misto (urbano + estrada). O sistema de frenagem regenerativa ajuda a poupar energia uma vez que o próprio veículo transforma a energia do atrito do freio em energia e isso ocorre tanto quando se aciona o pedal do freio quanto quando também apenas alivia o pé do acelerador.

Interior e equipamentos

 Por dentro é o Kwid que já congecemos, com exceção de alguns detalhes, como o volante que passa a ser de quatro raios. O modelo já chega completo, com traz seis airbags, controle eletrônico de estabilidade (ESP), freios ABS com BAS (Braking Assist System), assistente de partida em rampa (HSA), câmera de ré, sensor de estacionamento traseiro, sistema multimídia Media Evolution e direção elétrica, entre outros itens de segurança e conforto.

As vendas já começaram, mas as entregas serão iniciadas em agosto.

Colunistas

Carregando...

Enquete

Carregando...

Saiba mais