Carregando...

Política

Imagem: Eduardo Almeida / Rede 98

7 de setembro: veja como foi a manifestação a favor do Governo Federal

Milhares de pessoas se reuniram na Praça da Liberdade neste feriado

Por João Henrique do Vale

A destituição do Supremo Tribunal Federal (STF) e o voto impresso nas eleições. Essas foram as principais reivindicações das manifestações em favor do Governo Federal em Belo Horizonte. Milhares de pessoas se reuniram na Praça da Liberdade, um dos cartões-postais da cidade, com camisas da seleção brasileira, bandeiras do Brasil e empunhando cartazes com palavras de ordem. 

A manifestação começou ainda de manhã. Um grupo de pessoas se reuniu nas proximidades do estádio Mineirão para uma carreata. Vários veículos tomaram a Avenida Coronel Oscar Paschoal e a Avenida Antônio Abrahão Caram. Por volta de 9h30, eles começaram a deslocar para a Praça da Liberdade. Carros, motos, caminhões e bicicletas, seguiram pela Avenida Carlos Luz, Pedro II, depois passaram pelo Viaduto Dona Helena Greco, e a Avenida Bias Fortes. 

Quando chegaram na Praça da Liberdade, milhares de pessoas já esperavam pela carreata. Os manifestantes se concentraram no canteiro central e nas calçadas para a passagem dos veículos. Dois carros de som davam o tom das reivindicações. A principal delas a saída dos ministros do STF. 

O funcionário público Vinícius Resende, de 49 anos, concorda com a destituição do STF. Para ele, decisões equivocadas estão sendo tomadas pelos ministros. “Promover a democracia e o bem social do Brasil. Esse são os objetivos da nossa manifestação. O Supremo Tribunal Federal está exagerando nas suas decisões”, disse. 

Vinícius levou uma faixa com frases em inglês. Segundo ele, é para mostrar a outros países o que acontece no Brasil. “Trouxemos para que o mundo veja o que está acontecendo de fato no Brasil. Nossa democracia está sendo corroída pelo judiciário que está invadindo o executivo e o legislativo”, comentou. 

Outra bandeira levantada por ele é o voto impresso. “Sou a favor do voto impresso auditado. A gente sempre fica com a pulga atrás da orelha, pois os mecanismos eletrônicos podem ter fraudes”, finalizou. 

Liberdade de expressão 

A administradora Ana Werneck, de 54 anos, levou ao protesto cartazes contra o STF e os ministros Alexandre de Moraes e Luis Roberto Barroso. “Respeito a constituição é o nosso maior desejo. Atos do supremo que têm passado constantemente da liberdade de expressão não respeitando os artigos que estão na Constituição”, comentou. 

A empresária Débora Magalhães, de 48, acompanhou a amiga. Segundo ela, pedidos de impeachment que já estão no Senado precisam ser analisados. “Acho que devem ser usados os caminhos legais. Para isso, temos os impeachments que já foram pedidos e estão no Senado Federal e o presidente Rodrigo Pacheco não analisa. Somente um pedido tem mais de três milhões de assinaturas, isso é muito significativo”, comentou. 

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais