Carregando...

Política

Imagem: Fábio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

Bolsonarista é preso pela Polícia Federal em Santa Catarina

Prisão foi determinada pelo ministro Alexandre de Moraes a pedido da PGR

Por Victor Duarte

Foi preso, na tarde deste domingo, pela Polícia Federal o bolsonarista Márcio Giovani Nique. Ele é investigado no inquérito sobre realização de atos violentos no 7 de setembro

A prisão aconteceu em Santa Catarina depois que o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), atendeu a um pedido da Procuradoria Geral da República (PGR).  

Em uma live nas redes sociais, Nique chegou a dizer que um empresário estava oferecendo dinheiro "pela cabeça" de Moraes.

"Não vou falar agora quem é, mas tem um empresário grande aí que tá oferecendo, tem até uma grana federal que vai sair um valor pela cabeça do Alexandre de Moraes. Vivo ou morto para quem trazer ele", disse. 

Relator de inquéritos e processos que miram o presidente Jair Bolsonaro, Alexandre de Moraes é um dos alvos maiores dos apoiadores do chefe do Executivo, recebendo ataques e ameaças constantes. No Twitter, por exemplo, o ministro do STF recebeu uma ameaça feita por homem que se diz policial militar. Ele afirmou que ele e outros agentes "vão matar" Alexandre e sua família.

As ofensas e ameaças a Alexandre levaram um publicitário à delegacia na sexta-feira, 3, alvo de um boletim de ocorrência por injúria. O procedimento foi registrado por um homem que integra a escolta pessoal do ministro, que disse à Polícia ter presenciado, na portaria do Clube Pinheiros, Alexandre da Nova Forjas chamar o magistrado de ‘careca ladrão’, "advogado do PCC", "vamos fechar o STF" e "careca filha da p..".

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais