Carregando...

Política

Imagem: Luiz Macedo / Câmara dos Deputados

Campanha de político vale mais que saúde no Brasil

Enquanto o Fundão é triplicado, saneamento básico fica às mínguas no Brasil

Notícias

Antônio Claret Jr.

Advogado e Vice-Presidente do Instituto Liberal


Quando achamos que nada mais pode acontecer de ruim neste país, nos surpreendemos. O Congresso aprovou a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2022 com um detalhe que enoja e causa revolta ao brasileiro pagador de impostos: o aumento do fundo eleitoral de R$2 bilhões para R$5,7 bilhões.

O fundo eleitoral é fonte de recurso público para financiar campanhas eleitorais. Ele foi criado em 2017, após a proibição de doações de empresas para campanhas políticas. Este recurso é utilizado em atividades de campanhas políticas como santinhos, carros de som, propagandas, produção para rádio e internet, jingles, vinhetas e slogans.

Interessante constatar que aqueles congressistas que aprovaram esta baixaria não representam o cidadão. Na Câmara, o Brasil perdeu por 278 a 145 enquanto no Senado, a pouca vergonha se deu por 40 a 33

Neste ponto, vale uma reflexão: atualmente, metade do esgoto gerado no Brasil é devolvido aos cursos de água sem qualquer tratamento. Isso resulta em doenças como diarréias infantis e dengue, além de desvalorizar os municípios, poluindo um bem não renovável que é a água. Além disso, sabe-se que para cada R$1,00 investido em saneamento, temos R$4,00 economizados na saúde. Pois bem, o orçamento reservado para o tema saneamento nos últimos seis anos foi de R$5,2 bilhões. Valor menos que o que será gasto do seu dinheiro com jingles, carros de som e santinhos a cada dois anos.

Vivemos uma pandemia histórica que expôs a condição crítica de nosso sistema de saúde, bem como aumentou o número de desempregados e pessoas que dependem de um auxílio estatal. Estamos falando aqui de R$6 bilhões a cada dois anos que serão gastos com campanha eleitoral. É uma vergonha que um país em crise, com um sistema de saúde entrando em colapso a cada onda de Covid-19 e com tantos desempregados se preocupe com bilhões para manutenção de cargo público.

Eu não me importo se você é de direita, esquerda, centro ou apolítico, mas é hora de demonstrar sua revolta e focar em nomes para o legislativo no ano que vem. Essas pessoas que aprovaram este absurdo não nos representa.

* Esta coluna tem caráter opinativo e não reflete o posicionamento do grupo.
Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais