Carregando...

Política

Imagem: Divulgação/CMBH

CPI marca acareação entre dono do Shopping Oiapoque e subsecretário da prefeitura de BH

Motta afirmou não conhecer Valadares e que não participou das negociações em que o shopping formalizou a doação de respiradores; Mário Valadares disse ter negociado o envio dos equipamentos junto ao subsecretário

Notícias

Lucas Ragazzi

Jornalista dos programas Central 98 e 98 Talks, especialista em política


A CPI da Pandemia na Câmara de Belo Horizonte vai marcar, para a próxima quinta-feira (18), uma acareação entre o subsecretário de Administração e Logística da prefeitura, Breno Motta, e o proprietário do Shopping Oiapoque, Mário Valadares, por conta de informações conflitantes fornecidas por eles em oitivas à comissão.

Ouvido nesta segunda-feira (16) em sessão extraordinária, Motta afirmou não conhecer Valadares e que não participou das negociações em que o shopping formalizou a doação de ventiladores pulmonares à administração municipal. Em depoimento feito em julho, Mário Valadares afirmou ter negociado o envio dos equipamentos junto ao subsecretário.

Em sua oitiva, Mário Valadares disse ter feito a doação de 25 unidades de peças para ventilador pulmonar adulto; 5 para ventilador pulmonar pediátrico; 15 para ventilador pulmonar, válvula expiratória; 15 para ventilador pulmonar, diafragma da válvula expiratória e 8 unidades de ventiladores pulmonares. A doação foi feita em julho de 2020, mas o extrato só foi publicado no Diário Oficial do Município em 1º de junho de 2021. O empresário disse que o secretário de Saúde, Jackson Machado, só sabia da doação dos 8 ventiladores pulmonares e que todo o restante foi tratado com outros servidores, entre eles, o subsecretário Breno Motta.

* Esta coluna tem caráter opinativo e não reflete o posicionamento do grupo.
Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais