Carregando...

Política

Definição de presidências de colegiados da Câmara fica para semana que vem

Há um impasse em torno da Comissão de Relações Exteriores, até então presidida por Eduardo Bolsonaro

Por Estadão Conteúdo

Com impasse em relação à Comissão de Relações Exteriores, a definição da presidência dos principais colegiados da Câmara agendada para esta quinta-feira (4), foi postergada e deverá ocorrer na próxima terça-feira (9). Líderes da Câmara se reuniram no período da tarde desta quinta, mas não chegaram a um acordo.

A comissão, até então presidida por Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), é disputada pelo PSDB e PSL.

A definição de quem comandará essa comissão esbarra ainda em uma acomodação do MDB em outras comissões. Caso fique com o PSDB, o colegiado deve ser presidido pelo deputado Aécio Neves (MG). Se continuar nas mãos do PSL, o indicado deve ser Luiz Philippe de Orleans e Bragança (SP).

O PSL deve ainda ficar com o principal colegiado da Casa, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), porta de entrada da maioria dos projetos, responsável por decidir se os textos são constitucionais ou não.

A indicada pelo partido é a deputada Bia Kicis (PSL-DF). Ex-procuradora do Distrito Federal, ela pretende colocar em votação um projeto para acabar com o que ela chama de "ativismo judicial". Ela é alvo de um inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) sob suspeita de organizar atos antidemocráticos no ano passado.

O PSL deve abocanhar ainda a Comissão de Agricultura. A cotada nesse caso é a deputada Aline Sleutjes (PSL-PR), atuante da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA).

"A definição das comissões ficará para terça da semana que vem. É o tempo necessário para que os líderes organizem os últimos detalhes da distribuição proporcional das presidências", escreveu o vice-presidente da Câmara no Twitter, Marcelo Ramos (PL-AM).

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais