Carregando...

Política

Imagem: Divulgação

Demora na entrega e divergências sobre quantidade podem travar compra da Sputnik V pelo governo de MG

Na avaliação de interlocutores do Estado, a aquisição não se justificaria caso as doses não desembarquem em Minas até meados de agosto

Notícias

Lucas Ragazzi

Jornalista dos programas Central 98 e 98 Talks, especialista em política


A compra das vacinas Sputnik V pelo governo de Minas pode não se concretizar. Membros da gestão Zema têm adotado tom pessimista por conta do calendário de entrega dos imunizantes - na avaliação de interlocutores do Estado, a aquisição não se justificaria caso as doses não desembarquem em Minas até meados de agosto.

O primeiro sinal amarelo ligado no governo surgiu pelo atraso na entrega da Sputnik V ao consórcio de governadores do Nordeste, que firmou acordo com os russos em março. A previsão é que as primeiras doses do imunizante cheguem para os Estados nordestinos na próxima quinta-feira (22).

Procurada pela coluna, a Cônsul da Rússia em Belo Horizonte, Carolina Bernardes, que participou das negociações entre o governo mineiro e o Instituto Gamaleya, afirmou que o principal entrave, por enquanto, se dá ao volume de vacinas pretendido pelo Estado. "Não há dificuldade de produção por parte da Rússia, pelo contrário. O ponto é que temos aprovação da ANVISA para 428.000 doses nesse momento, e o RDIF (fundo de investimento russo que financiou a pesquisa pela vacina) pretende um contrato com volume maior".

* Esta coluna tem caráter opinativo e não reflete o posicionamento do grupo.
Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais