Carregando...

Política

Imagem: Marcos Corrêa / PR

Em 'declaração à nação' Bolsonaro baixa o tom e diz que nunca teve intenção de agredir os Poderes

Chefe do Executivo divulgou documento após encontro com o ex-presidente Michel Temer

Por Victor Duarte

Em um documento divulgado na tarde desta quinta-feira (9), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que "nunca teve a intenção de agredir quaisquer dos Poderes". Ainda de acordo como texto, pessoas que "exercem o poder não têm o direito de "esticar a corda", a ponto de prejudicar a vida dos brasileiros e sua economia

O documento destaca ainda que "em que pesem suas qualidades como jurista e professor, existem naturais divergências em algumas decisões do ministro Alexandre de Moraes".

Segundo a declaração à nação divulgada pelo presidente, as divergências com Moraes "decorrem de conflitos de entendimento acerca das decisões adotadas pelo ministro Alexandre de Moraes no âmbito do inquérito das fake news".

A divulgação do texto aconteceu depois que Bolsonaro se reuniu com o ex-presidente Michel Temer, que o aconselhou a publicar o documento para amenizar a crise entre os poderes. 

A equipe da Rede 98 confirmou com a assessoria do ex-presidente e ele está de fato em Brasília. A reunião teria durado quatro horas e aconteceu no Palácio do Planalto. Na pauta a crise institucional e o Conflito com o STF e o ministro Alexandre de Moraes

7 de Setembro

A crise entre os poderes se agravou depois das manifestações do dia da independência, quando o presidente Jair Bolsonaro fez duras críticas ao STF e ao ministro Alexandre de Moraes. 

Bolsonaro discursou para apoiadores em Brasília e São Paulo. Ao discursar para apoiadores na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, o presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou que um chefe de Poder deve "enquadrar o seu" ou vai "sofrer aquilo que não queremos". Ele não citou nominalmente a quem se referia, mas criticou quem estaria, de acordo com ele, "barbarizando a população".

"Não podemos aceitar mais prisões políticas no nosso Brasil. Ou o chefe desse Poder enquadra o seu ou esse Poder pode sofrer aquilo que nós não queremos", discursou o presidente.

Já no fim de seu discurso na Avenida Paulista, em São Paulo, Bolsonaro voltou a falar de reeleição e disse que só deixa o cargo se for a vontade de Deus. Aos apoiadores, afirmou: "Nesse momento, eu quero mais uma vez agradecer a todos vocês. Agradecer a Deus, pela minha vida e pela missão, e dizer aqueles que querem me tornar inelegível em Brasília que só Deus me tira de lá."

Em seguida, o presidente afirma que há três opções para o seu futuro político. Disse que pode ser "preso, morto ou sair com a vitória". E completou na sequência: "Quero dizer aos canalhas que eu nunca serei preso."

Confira a íntegra do documento:

Declaração à Nação

No instante em que o país se encontra dividido entre instituições é meu dever, como Presidente da República, vir a público para dizer:

1. Nunca tive nenhuma intenção de agredir quaisquer dos Poderes. A harmonia entre eles não é vontade minha, mas determinação constitucional que todos, sem exceção, devem respeitar.

2. Sei que boa parte dessas divergências decorrem de conflitos de entendimento acerca das decisões adotadas pelo Ministro Alexandre de Moraes no âmbito do inquérito das fake news.

3. Mas na vida pública as pessoas que exercem o poder, não têm o direito de “esticar a corda”, a ponto de prejudicar a vida dos brasileiros e sua economia.

4. Por isso quero declarar que minhas palavras, por vezes contundentes, decorreram do calor do momento e dos embates que sempre visaram o bem comum.

5. Em que pesem suas qualidades como jurista e professor, existem naturais divergências em algumas decisões do Ministro Alexandre de Moraes.

6. Sendo assim, essas questões devem ser resolvidas por medidas judiciais que serão tomadas de forma a assegurar a observância dos direitos e garantias fundamentais previsto no Art 5º da Constituição Federal.

7. Reitero meu respeito pelas instituições da República, forças motoras que ajudam a governar o país.

8. Democracia é isso: Executivo, Legislativo e Judiciário trabalhando juntos em favor do povo e todos respeitando a Constituição.

9. Sempre estive disposto a manter diálogo permanente com os demais Poderes pela manutenção da harmonia e independência entre eles.

10. Finalmente, quero registrar e agradecer o extraordinário apoio do povo brasileiro, com quem alinho meus princípios e valores, e conduzo os destinos do nosso Brasil.

DEUS, PÁTRIA, FAMÍLIA

Jair Bolsonaro

Presidente da República federativa do Brasil

Enquete

Carregando...

Colunistas

Carregando...

Podcasts

Carregando...

Saiba mais